Televisão • Home• Revista 10/3/2008
Perfil
Engajado e problemático
Estreante ganha espaço em Duas Caras no papel do militante estudantil Rudolf

Envie esta matéria para um amigo
Fotos: DIVULGAÇÃO
O ator usa lentes de contato verdes por sugestão do diretor Wolf Maya

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

No início de Duas Caras, um garoto chamava a atenção por aparecer ditando palavras de ordem em meio a manifestações estudantis. Aos poucos, o personagem ganhou nome, sobrenome e espaço na trama. Rudolf Stenzel, mais do que protestar, usa de artifícios não muito corretos para chamar a atenção e já mostrou que, embora diga ser um “injustiçado pelo sistema”, tem muito dinheiro. A história dele começará a ser revelada em breve. “Ele vai contar que é filho de uma negra que foi trabalhar como faxineira na Holanda e ficou grávida lá. O pai é quem lhe dá dinheiro”, diz Diogo Almeida, que faz sua estréia em novelas como intérprete do personagem.

Até mesmo Diogo desconfia desta história contada por Rudolf, que explicaria os olhos verdes do personagem. “Uso lentes por sugestão do Wolf Maya (diretor)”, diz o ator, de 23 anos, que experimenta a fama trazida pela novela. “Às vezes, tenho de me vestir de maneira diferente para poder ir a alguns lugares”, conta ele, que, antes de ir para a tevê, concluiu o curso de artes cênicas. “Queria estudar para que, quando aparecesse um trabalho, eu não deixasse tanto a desejar.”

O papel foi conquistado em um teste, e Diogo conta que simpatizava com o personagem. “Agora, ele passou do limite, mas eu gostava do fato de ele lutar por igualdade social e racial”, diz. “Discussões sobre racismo me interessam porque, embora esse problema nunca tenha sido evidência na minha vida, sei que ele existe.” Aina Pinto