Moda • Home• Revista 26/2/2008
Milão
Rendas, peles e polêmica na temporada de outono/inverno da semana de moda milanesa

Por Bianca Zaramella

Envie esta matéria para um amigo
Giorgio Armani resgatou cores sóbrias e estampas florais
Milão não quer perder seu espaço e tradição no calendário da moda. Na temporada outono/inverno 2008/2009, estilistas importantes como Giorgio Armani e Roberto Cavalli decidiram não embarcar na onda de modernidade e pressa que invadiu o mundo fashion. A polêmica começou com a decisão da semana de moda italiana de concentrar os principais desfiles em poucos dias, como desejava a temida editora da revista Vogue América, Anna Wintour, alegando não dispor de tanto tempo para ficar na cidade. A reação dos italianos foi imediata. “Wintour? Não estou nem aí se ela não está na primeira fila do meu desfile: sejamos fortes”, disse Cavalli, determinado. Para mostrar o poder dos italianos, ninguém menos que Miuccia Prada. A nova coleção da estilista, repleta de vestidos rendados, provou que a grife está mais atual do que nunca, agradando todas as editoras poderosas. Na busca pela estética Made in Italy, Armani resgatou sua elegância com cores sóbrias, desenhos florais e surpreendeu com sapatos sem salto. Já a Fendi apostou na tradição dos casacos de pele, com uma releitura de formas mais modernas e geométricas. Na polêmica temporada, as linhas jovens das grifes tradicionais surgiram com toque de sofisticação. Just Cavalli ganhou frescor com estampas e a D&G apostou no resgate do xadrez, que promete ser uma forte tendência dos dias frios.

Fotos: AP