Televisão • Home• Revista 26/2/2008
Damages
(A.P.)

Envie esta matéria para um amigo
Glenn Close e Zeljko Ivanek são Patty Hewes e Ray Fiske, que se enfrentam nos tribunais

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

DAMAGES, que estreou em 12 de fevereiro no AXN, tem um tema recorrente em filmes e séries americanas: justiça. É mais um seriado que se passa entre tribunais e escritórios de advocacia. O que o torna imperdível é a maneira como isso tudo é mostrado. A série subverte a lógica de que, no final, o bem tem de vencer.

No centro da história está a advogada Patty Hewes, interpretada por Glenn Close. Ela defende um grupo de funcionários prejudicados pela especulação financeira do patrão, o empresário Frobisher (Ted Danson). É com ela que vai trabalhar a jovem e ambiciosa Ellen (Rose Byrne).

Narrada em flashback, a história começa com Ellen correndo ensangüentada e seminua pelas ruas. O “caso Frobisher”, que se passa seis meses antes da cena inicial, dá as pistas do que poderia ter acontecido com a garota. Mas nada é óbvio. Ela tanto pode ter matado alguém como pode ter sido vítima de Frobisher – ou mesmo de Hewes.

Aos poucos, Hewes mostra que, para que a justiça seja feita, ela é capaz das atitudes mais sórdidas, como mandar matar o cachorro da testemunha e insinuar que foi Frobisher. O único relacionamento pessoal que ela mantém é com o marido – e apenas por telefone. É nesses poucos instantes que se mostra frágil.

Damages já seria ótima apenas pelo texto inteligente e por fazer algo que há muito as produções brasileiras não fazem: despertar o interesse do público para ver o próximo capítulo. Mas, além disso, ainda tem Glenn Close numa atuação impressionante. Isso tudo somado faz da série o que há de melhor na televisão atualmente.

Série estrelada por Glenn Close e exibida no AXN é o que há de melhor atualmente na televisão