Ensaio • Home• Revista 19/2/2008
O verão de Caroline Ribeiro
Ela poderia se dar ao luxo de não trabalhar, mas aceitou o desafio de comandar o arquivo luau, na MTV, e está prestes a assinar um contrato para permanecer na emissora

TEXTO CAMILLA GABRIELLA E MACEDO RODRIGUES/ FOTOS ALEXANDRE SANT'ANNA/AG.ISTOÉ

Acostumados a rostos conhecidos, os telespectadores tiveram uma surpresa neste verão de 2008. A MTV brindou seu público com uma apresentadora tão bela quanto inexperiente na telinha. Consagrada no mundo fashion, a top paraense Caroline Ribeiro, estrela de campanhas internacionais de marcas como Gucci, Valentino, Yves Saint Laurent e Louis Vuitton, estreou na emissora apresentando o programa Arquivo Luau. Aos 28 anos, Caroline penou para realizar os sete programas previstos. Nas gravações, por conta do nervosismo, tropeçava nos nomes das atrações e esquecia o texto. Tudo mais do que natural para quem caiu de pára-quedas na função sem passar por cursos ou ensaios. Mesmo assim, agradou. Tanto que está em fase final uma negociação de um novo contrato com a top para permanecer na emissora. Caroline está em Nova York e deve voltar ao Brasil nos próximos dias para bater o martelo.

Mãe de João, ela conta que só conseguiu engravidar em 2003 na terceira gestação no curto período de oito meses. “Perdi uma gravidez atrás da outra e, na segunda, virei um monstro por causa dos hormônios. Paulo estava quase me largando, mas me aturou até o fim desse processo”
Os percalços da experiência não se comparam à odisséia pela qual passou para ter seu primeiro filho. Casada com Paulo Rego, 34 anos, ela enfrentou dificuldades para engravidar de João, de 3 anos. O menino foi resultado da terceira gravidez da top num período de oito meses, em 2003, ano em que ela parou a vida profissional para engravidar. “Tenho endometriose, um problema cromossômico, e não produzo hormônios”, explica ela.
"FOI BOM SENTIR MEDO, O CORAÇÃO EM DISPARADA E UM FRIOZINHO NA BARRIGA DE NOVO, UMA COISA QUE A MODA NÃO ME DAVA MAIS"
Caroline sempre soube que enfrentaria dificuldades para ter um filho, mas não esperava que fosse tão penoso. “Perdi uma gravidez atrás da outra e, na segunda, virei um monstro”, lembra. Segundo ela, a dose diária de 600 mg de progesterona a deixava com os nervos à flor da pele. “É o hormônio da TPM, então enlouquecia a vida do Paulo. Ele estava quase me largando, mas me aturou até o fim desse processo”, relembra.

Maternidade
Na luta para ser mãe, Caroline chegou a engordar 34 quilos. “Estava pesando 90 quilos. Me transformei em uma outra pessoa. Fiquei alucinada de verdade. Achava que não ia poder ter filho e aquilo virou uma obsessão. Enquanto não conseguisse não ia parar.” E mesmo a gravidez de João não foi tranqüila. Ela se lembra que, quando o exame deu positivo, o marido estava fora do País e demoraria uma semana para voltar. “Minha mãe veio de Belém para São Paulo para cuidar de mim. Ela já sabia da minha loucura e resolveu me levar a um hotel holístico. No dia seguinte, quando acordei às sete da manhã para fazer uma terapia, estava com sangramento”, recorda. A terapeuta rezou e energizou uma pedrinha, com a qual presenteou Caroline. A top usou o amuleto até o dia do parto de João. “Fiquei com a pedra dentro da calcinha o tempo inteiro. Porque acreditei que ia me ajudar a segurar a gravidez. Tive de me apegar a alguma coisa para dar certo”, revela. No dia do parto, uma cesariana, a top conta que estava muito falante e segura. “Mesmo depois da anestesia, falei o parto inteiro. Sempre com a pedrinha comigo. E tudo correu bem. O João nasceu saudável.”

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>