Moda • Home• Revista 19/2/2008
Londres
Vestidos glamourosos e acinturados, xadrez e até protesto político marcam a temporada de outono/inverno 2008/2009 da semana de moda britânica

Por Luciana Franca

Envie esta matéria para um amigo
Veludo molhado e alfaiataria impecável da Red Label, a segunda marca de Vivienne Westwood

O desfile de Vivienne Westwood era um dos mais esperados na London Fashion Week. Depois de um intervalo de nove anos, a estilista britânica voltou às passarelas da capital inglesa. Ela apresentou as criações de outono/inverno de sua segunda marca, a Red Label – sua linha principal, a Gold Label, continua a ser mostrada em Paris. Foi um show de elegância e, como não podia deixar de ser, protesto. Entre peças de veludo molhado e impecável alfaiataria, uma modelo desfilou com um cartaz chamando a atenção para as vítimas da prisão americana na base naval de Guantánamo, em Cuba. Também aguardado, e menos polêmico, foi o desfile da marca Jaeger London. A grife lançada há mais de um século mostrou uma coleção recheada de casacos luxuosos. Glamour foi o ponto alto de outro estilista, Paul Costelloe, que apostou em volumosos vestidos para a noite e apresentou cinturas ainda mais demarcadas do que ultimamente estavam sendo mostradas pelos designers. Luella e Amanda Wakeley confirmaram a tendência do acinturado visual lady. Já a grife Issa, da brasileira Daniella Helayel, seguiu o caminho das formas amplas em tecidos delicados como a seda. A estampa xadrez também foi outra aposta que dominou a cena londrina.

 

 

ELEGANTE EXCESSO Volume extra no modelo de tule estampado da grife PPQ (1). Na passarela de Paul Costelloe (2), o vestido claro de cintura ajustada ganha ainda mais evidência com a meia-calça escura. Brilho dourado na criação assinada por Julien Macdonald (3). Cintura marcada e tecido fluido é a aposta de Amanda Wakeley (4). Para reforçar a tendência do xadrez, a grife Ashish (5) mostrou saia com patchwork de padronagem clássica Fotos: AP