Televisão • Home• Revista 12/2/2008
SBT
Longe do dramalhão
A novela argentina Lalola, sobre um homem que se torna mulher, deixa o romance em segundo plano e destaca a comédia

Envie esta matéria para um amigo
Carla Peterson e Luciano Castro são Lola e Fernando
A idéia central de Lalola não é nem um pouco original: um homem que vira mulher e se vê obrigado a entender o universo feminino. Mas a graça da produção, atualmente exibida pelo SBT às 20h15 de segunda a sábado, é a maneira moderninha como isso é contado. A novela argentina foi exibida em seu País de origem no ano passado e elevou a audiência da pequena emissora América, tornando-se o programa mais visto do canal e, em seguida, vendido para 15 países.

trama escapa dos clichês e deixa o romance e os dramas em segundo plano para destacar a comédia. Na história, Lalo (Juan Gil Navarro) é um machista que trata mulheres como objeto. Um dia, uma namorada pede para que uma bruxa o transforme em mulher – e ele acorda Lola (Carla Peterson).

A partir daí, tem de aprender a se vestir, ir ao médico, depilar-se. E, quando o assunto é romance, Lola tem atração por mulheres, já que pensa como um homem, mas sente-se seduzida por Fernando (Luciano Castro), um colega apaixonado por ela.

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

A interpretação da protagonista está, pelo menos, dois tons acima do natural e a dublagem não é a melhor solução para os diálogos rápidos. Mas a edição e a trilha sonora são boas, e o resultado remete a séries americanas, não aos dramalhões mexicanos que o SBT costuma exibir. A audiência não é um estouro, mas é boa para o canal. Quando estreou, em 21 de janeiro, alcançou 11 pontos de média e vem mantendo índices em torno de 8. (A.P.)