Televisão • Home• Revista 12/2/2008
Minissérie
Até que a morte os una
Em Queridos Amigos, um personagem forja a própria morte para reunir os companheiros

Envie esta matéria para um amigo
Dan Stulbach é Léo, pai de Davi, personagem de André Luiz Frambach

Foi Dan Stulbach quem sugeriu a Maria Adelaide Amaral a adaptação para a tevê do livro Aos Meus Amigos, lançado por ela em 1992. A autora aceitou a proposta, e o resultado é a minissérie Queridos Amigos, que estréia na segundafeira 18, às 22h30, na Globo, e tem Dan no papel de Léo. Ele forja a própria morte para consertar o que a vida fez errado, unindo seus amigos e os ajudando a entender suas frustrações e seus desejos.

Fotos: DIVULGAÇÃO
A autora Maria Adelaide Amaral baseou-se em histórias de amigos

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

Essa é a primeira vez que a autora levará para a tela uma história exclusivamente sua. Seus trabalhos anteriores foram adaptações de livros de outros escritores. Além disso, o enredo de Queridos Amigos tem algo de muito particular: escrito após a morte um amigo, o livro em que a minissérie é baseada reúne histórias de pessoas com as quais Maria Adelaide conviveu. “O melhor de tudo é que os personagens e a história me pertencem inteiramente. O problema é que o livro teve excelentes resenhas quando foi publicado, e a minissérie deve estar no mínimo à altura dele”, diz a autora.

Além de Dan Stulbach, também estão no elenco Matheus Nachtergaele, Guilherme Weber, Débora Bloch, Drica Moraes, Denise Fraga e Fernanda Montenegro, entre outros. Mas a personagem principal é mesmo a amizade. “O afeto e a emoção são dados universais. Todo mundo tem ou teve um grupo de amigos do peito e do coração. E, embora seja uma história de amizade e solidariedade, o amor estará presente na trama”, conta. Aina Pinto