Música • Home• Revista 29/1/2008
The Black and White Album
The Hives volta com gás em disco em que se aventura pelo rap e por música em tom de cabaré

Envie esta matéria para um amigo

ROCK

ESTRELAS:

ANDY EARL/ DIVULGAÇÃO
The Hives: quarto disco do quinteto é o mais diverso

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

FORMADO NA SUÉCIA EM 1993, o quinteto The Hives obteve projeção mundial a partir de 2000, quando lançou seu segundo álbum, Veni, Vidi, Vicious. O disco que está sendo editado este mês no Brasil, The Black and White Album, já é o quarto do grupo e o mais diverso.

Pelas três primeiras faixas, as contagiantes "Tick Tick Boom", "Try It Again" e "You Got It All... Wrong", tem-se a falsa impressão de que os Hives vão apresentar mais do mesmo ao longo das 14 músicas do CD. Mais do mesmo, no caso, seria um garage rock de inspiração punk. Mas o álbum oferece surpresas. O grupo resolveu se aventurar ligeiramente pelo universo do rap e duas faixas tiveram suas produções entregues a Pharrell Williams, integrante do duo The Neptunes, uma das grifes mais fortes do hip-hop norte-americano. Uma delas em especial, "The H.I.V.E.S.", sinaliza que a banda tem pouco a ganhar com essas experiências com as batidas do rap, já que as aventuras soam mais curiosas do que propriamente interessantes.

Nessa seara inusitada, The Black and White Album -- cujo título alude à opção estética dos músicos de usar apenas figurinos em preto e branco - causa melhor impressão com "Puppet on a String", música gravada em delicioso tom de cabaré.

Se a segunda metade do disco mantivesse o pique da primeira, o álbum seria grandioso. Não é o que acontece. Contudo, somente "Hey Little World", faixa pilotada por Jacknife Lee -- produtor em alta no mercado de rock - já seria o atestado definitivo de que o quinteto deveria priorizar o rock em detrimento de aventuras por estilos que, com o tempo, correm o disco de descaracterizar seu som. Mauro Ferreira