Exposição • Home• Revista 29/1/2008
Arte Contemporânea
Outros horizontes para a street art
Duas mostras em cartaz em São Paulo apresentam expressões da cultura urbana

Envie esta matéria para um amigo
"Arbol", de TimTchais, está em Street Art - do Graffiti à Pintura

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia
Há um ano e meio em vigor em São Paulo, a lei municipal Cidade Limpa baniu a propaganda da rua e garantiu ao graffiti um protagonismo absoluto como expressão imagética da cidade. Essa nova condição urbana - que coincidiu com o momento em que o graffiti começou a ser exposto em museus e galerias de arte paulistanas - justificaria um evento que promovesse uma reflexão acerca das perspectivas da arte do graffiti. A mostra Street Art - do Graffiti à Pintura, poderia ter servido a esse propósito, pensando, como sugere o curador Fabio Magalhães em texto da exposição, "os novos desafios para a sobrevivência do graffiti como arte pública". Mas a mostra apenas promove o encontro entre dez grafiteiros italianos e dez brasileiros, que ocupam as paredes do MAC-USP Ibirapuera até 9 de março, com pinturas sobre suportes convencionais. Falta à exposição a diversidade de expressões que é própria da arte urbana. Mais que pensar o estatuto do graffiti, a mostra comprova o esvaziamento de sentido da street art quando ela é deslocada para dentro de um espaço institucional. Da maneira ascética como são enquadrados - e muitas vezes emoldurados - os trabalhos deixam de produzir comentários sobre a realidade social e carecem da energia vibrante que se produz a partir da fricção do diálogo com a cidade.

"Sem Título", de A. J. Fosik, exposta em Made in America

Por outro lado, a mostra Made in America, na galeria Choque Cultural, expõe uma arte que tem parentesco com a street art e que é gerada no contato do artista com internet, rock, comics, mangá, moda, design e publicidade. São onze artistas americanos que se expressam através do graffiti, da ilustração e dos quadrinhos e produzem uma arte que não é feita na rua, mas que é feita de cultura urbana. Paula Alzugaray

Choque Cultural - r. João Moura, 997 - Pinheiros - (11) 3061-4051. Até 29/2. MAC-USP Ibirapuera - Pavilhão Ciccillo Matarazzo, 3° piso - Parque Ibirapuera - (11) 5573-9932. Até 9/3.