Música • Home• Revista 22/1/2008
FUNK / SOUL
Cidadão do Bem
Em seu segundo disco, o filho de Tim Maia não evita mais a associação com a música do pai famoso

Envie esta matéria para um amigo
Repertório de Leo Maia tem novidades e regravação de "Eu Amo Você"

FUNK / SOUL
MÁRCIO LEONARDO MAIA, o Leo Maia, é filho adotivo de Tim Maia (1942 - 1998), embora tenha grande semelhança física e musical com seu pai. Ao lançar seu primeiro disco em 2005, Cavalo de Jorge, Leo procurou se dissociar de Tim, gravando repertório inédito e quase todo autoral. Em seu segundo álbum, Cidadão do Bem, já calejado pelas dificuldades do mercado fonográfico brasileiro, Leo busca providencial associação com o Síndico. O repertório é majoritariamente novo, mas inclui regravação de "Eu Amo Você", balada de Cassiano e Silvio Roachel que Tim lançou em 1970 em seu primeiro LP. A faixa foi estrategicamente escolhida pela gravadora LGK para promover o CD. Um provável erro de marketing, pois a voz de Leo não tem a potência e o brilho do gogó de Tim.

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

Fora da seara dos covers triviais, Leo Maia também persegue o suingue funkeado do pai em músicas como "Baile Black" e "Doeu", no qual expia dor-de-corno à moda de Tim, perito na criação de letras tristes e magoadas. Mesmo sem ser compositor inspirado como seu pai, Leo parece ter herdado uma característica básica da obra dele: a capacidade de criar versos simples, de comunicação imediata. A boa faixa-título, "Cidadão do Bem", segue essa linha, prestando tributo aos que pregam a paz. Mas fica a sensação de que Leo Maia ainda precisa burilar sua própria identidade se não quiser ser xerox do pai. Mauro Ferreira
ESTRELAS: