Livros • Home• Revista 22/1/2008
BIOGRAFIA
Grande Otelo - Uma Biografia
Suzana Uchôa Itiberê

Envie esta matéria para um amigo
Fotos: AG.ISTOÉ
Grande Otelo: retrospecto dos setenta anos de carreira do ator é publicado

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

QUANDO ORSON WELLES veio ao Brasil em 1942, para rodar It's All True, passou no Cassino da Urca e cruzou com Grande Otelo, uma das estrelas da casa. O sambista Herivelto Martins apresentou- o ao amigo, como "o maior cineasta de Hollywood". O baixinho de um metro e meio, que já havia bebido umas a mais, soltou um simples "alô". Na hora de montar a equipe, o diretor de Cidadão Kane pediu por "aquele sujeito que me disse alô", e a quem depois compararia a Chaplin e Mickey Rooney. Momentos como esse dão graça a Grande Otelo - Uma Biografia (Editora 34, 320 págs., R$ 44). O jornalista Sérgio Cabral faz um honroso retrospecto dos setenta anos de carreira do astro de Macunaíma, mas peca pelo excesso de cerimônia.

Parceiro de Oscarito nas chanchadas da Atlântida, Otelo fez mais de cem filmes. Também transitou pelo teatro, por shows de revistas e televisão, compôs sambas e até como jornalista se arriscou. Cabral aborda o apreço de Otelo pela cachaça e por um rabo-de-saia. Lembra de tragédias - como o assassinato do filho, seguido do suicídio da primeira mulher -, fala da rebeldia que por vezes o deixou desempregado e do carisma que o ajudava a dar a volta por cima. Os fatos são precisos. Faltou, porém, se debruçar sobre o homem por trás do artista e desvendar as raízes daquele espírito indomável.

Obra de Sérgio Cabral é precisa nos fatos, mas não traz uma visão crítica do artista