Turismo • Home• Revista 15/1/2008
Leilah Moreno descobre a Paraíba
A cantora e atriz, no ar na novela das sete da globo, curte dias de folga no litoral paraibano ao sul da capital João Pessoa, região do Brasil que não conhecia

TEXTO GABRIELA PESTANA, DE JOÃO PESSOA FOTOS ROGERIO LACANNA

Na praia de Carapibus, Leilah Moreno visitou a Pousada Aruanã, que oferece uma das mais belas vistas do litoral sul paraibano. “Não imaginava que era tão bonito assim"
Existe um ditado paraibano que diz que quem vai a João Pessoa se apaixona. A atriz e cantora Leilah Moreno, que está no ar como Nalah em Sete Pecados, da Globo, e é uma das protagonistas do seriado Antonia, aproveitou uma folga nas gravações e foi recarregar as energias no litoral sul do Estado. Não precisou muito tempo para se encantar com as belezas naturais e a hospitalidade dos paraibanos. "Fiquei impressionada com tanta beleza, não imaginava que era tão bonito assim", diz Leilah.

Com extensas reservas de Mata Atlântica, praias quase desertas, piscinas naturais, falésias de tirar o fôlego e águas transparentes, a Paraíba ainda oferece legados arqueológicos e vários roteiros de turismo ecológico. Para completar, uma grande variedade de restaurantes com a deliciosa gastronomia regional e a autêntica música popular nordestina.

Em Tambaba, Leilah preferiu ficar vestida e, apesar da curiosidade, não ultrapassou a grande rocha que separa a praia da área dos praticantes de naturismo

Fundada em 1585, a capital paraibana é a terceira cidade mais antiga do País e, por isso, dona também de um raro patrimônio histórico, com bem conservadas edificações do século XVI em diante. O Conjunto Franciscano é uma das atrações. Concluída em 1788, a construção em estilo barroco compreende a Igreja de São Francisco e o Conjunto Santo Antônio. Lá, está instalado o Museu de Arte Popular Brasileira.

Em sua folga, Leilah percorreu parte do litoral sul paraibano e fez questão de conhecer um pouco da história de João Pessoa.

Praia de Tambaba

Situada no município do Conde, litoral sul de João Pessoa, é uma das mais famosas do Nordeste. Além da beleza das formações de corais, é a única praia oficial da região em que se pode praticar naturismo. Uma grande rocha divide a área em que o uso de roupas é simplesmente proibido. Leilah até ficou curiosa, mas preferiu se divertir no outro lado da praia, nas piscinas naturais formadas pelos corais, onde praticou um pouco de kung-fu. "Lutei muito tempo quando era criança, mas tive que deixar para seguir minha carreira de cantora. Só que a paz desse lugar me despertou lembranças desse tempo. Adorei!"

Carapibus

Nas areias de Tambaba, ela praticou kung-fu. "A paz do lugar despertou lembranças de quando era criança e praticava luta. Adorei!"

Foi na praia de Carapibus que a atriz mostrou que não consegue ficar muito tempo sem cantar. Na Pousada Aruanã, inspirada pela paisagem paradisíaca, a cantora aproximou-se dos artistas que tocavam ao vivo, pediu para cantar e deu uma canja para os turistas que curtiam a praia. “Música para mim é quase como lombriga, a gente fica aflita até matar a vontade. Sou assim, não tem jeito”, disse ela, que escolheu um hit de Ivete Sangalo para cantar. Carapibus é a primeira praia na direção sul após o distrito de Jacumã. Conhecida por suas águas calmas e límpidas, que formam piscinas naturais, é também o ancoradouro de barcos de pescadores. O grande atrativo é a temperatura da água, em torno de 28 graus.

Conjunto São Francisco

Além das belezas naturais, Leilah fez questão de conhecer o Centro Histórico de João Pessoa. A construção que mais a impressionou foi o Conjunto São Francisco, formado pelo Convento de Santo Antônio e a Igreja de São Francisco, construídos em 1779. “Sou muito católica e devota de Santa Bárbara, por causa de minha avó materna. Minha personagem no filme e no seriado Antonia chamou-se Barbarah em homenagem à santa e minha filha também vai ter esse nome.” A atriz ficou impressionada pela grandiosidade da arquitetura e dos acabamentos que incluem talhas de madeira folheadas a ouro, pedras de cantaria portuguesa, azulejos que formam um painel retratando a Paixão de Cristo. Durante o passeio, a atriz parou para comer um manga colhida por ela mesma no pátio do Conjunto: “Tenho esse jeito moleca”, disse enquanto saboreava a fruta.

Leilah descansa sob o sol e recarrega as energias antes de enfrentar mais uma semana de gravações de Sete Pecados

Culinária

No Centro Histórico, a atriz ficou impressionada com a arquitetura barroca do Conjunto Franciscano, tirou foto inspirada em Maria Bonita e degustou um prato de carne-de-sol no restaurante Tábua de Carne. ”Nunca comi nada tão característico como a carne de sol. É o retrato da Paraíba."

A mistura de raças e culturas faz da culinária paraibana um rico e variado conjunto de cores e sabores que os visitantes podem encontrar em vários bares e restaurantes de João Pessoa. A fauna marinha que inunda o litoral com uma imensa variedade de peixes, camarões e lagostas favorece a gastronomia. Os molhos à base de coco são bem presentes nas receitas e fazem sucesso na companhia de frutos do mar. Mas é a carnede- sol que tem lugar de destaque na culinária paraibana. Para ser preparada, a manta de carne é coberta de sal e exposta ao sol por cerca de 24 horas. Depois, a peça descansa em leite para tornar-se macia e saborosa. É servida com macaxeira bem macia, purê de queijo coalho, paçoca (farofa de carne-de-sol desfiada) e vinagrete. Leilah experimentou a especialidade no restaurante Tábua de Carne. “Como de tudo, não tenho medo de provar, mas nunca comi nada tão característico como a carne-de-sol. É o retrato da Paraíba.”

 

Artesanato

Consumista assumida, a atriz adorou visitar o Mercado de Artesanato: "Comprei de tudo um pouco, a diversidade no artesanato aqui é enorme"

A tradição do artesanato da Paraíba possui uma organização oficial, em Tambaú, João Pessoa, que abriga o Mercado de Artesanato. São 128 lojas que compõem um painel completo do que o Estado oferece. São redes, rendas, toalhas, colchas, esculturas e muito mais. Consumista assumida, Leilah Moreno foi conhecer as peças feitas com o algodão de cor, que é cultivado nas cores bege, marrom, verde e vermelho. A cor está contida na semente, que não sofre qualquer alteração genética: “Comprei de tudo um pouco, a diversidade no artesanato aqui é enorme”.

Agradecimentos: GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA, PBTUR (EMPRESA PARAIBANA DE TURISMO) e CENTRO CULTURAL DE SÃO FRANCISCO Produção: CIA MARÍTIMA, IT BEACH, TRITON, BILLABONG