Música • Home• Revista 8/1/2008
Chrome Dreams II
Em um de seus melhores trabalhos, Neil Young evoca álbum que abortou há 30 anos

Envie esta matéria para um amigo

ROCK

ESTRELAS:

 

AFP PHOTO
Neil Young mescla country, rock e folk em grande estilo

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia

POR RAZÕES nunca reveladas, Neil Young decidiu arquivar o álbum que havia gravado em 1977, Chrome Dreams. Mesmo sem ser lançado, o disco reverberou em trabalhos posteriores do compositor canadense, pois, daquele repertório, Young acabou aproveitando depois músicas que se tornaram importantes em sua obra, como "Pocahontas" e "Like a Hurricane". Trinta anos depois, o artista apresenta um de seus melhores álbuns, cujo título, Chrome Dreams II, evoca aquele abortado disco cuja matriz já foi inclusive destruída. O repertório reúne sete músicas novas e três antigas, mas inéditas em disco.

Embora aleatória, a alusão ao disco de 1977 até faz sentido, pois Young parece ter recuperado a forma que tinha nos áureos anos 70 - como já demonstrara em seu álbum anterior, Living with War (2006). Chromes Dreams II rebobina em grande estilo sua azeitada fusão de country, rock e folk. A melodiosa e linda canção que abre o CD, "Beautiful Bluebird", dá a pista de que o artista está inspirado. Mas o melhor momento do álbum é "Ordinary People", um épico r&b de pegada roqueira, com metais em brasa, que dura 18 pungentes minutos. A música é de 1988, mas permanecia inédita. Ora ácido, como no rock "Dirty Old Man", ora poético, como na balada "Shining Light", Neil Young mostra fôlego insuspeitado aos 62 anos. (M.F.)