Livros • Home• Revista 8/1/2008
BIOGRAFIA
Retrato indiscreto da princesa
Há mexericos de sobra em Diana - Crônicas Íntimas (Ediouro, 452 págs., R$ 44,90), biografia escrita por Tina Brown que traz as entrevistas que fez com Diana e depoimentos de pessoas do círculo íntimo da princesa de Gales

Suzana Uchôa Itiberê

Envie esta matéria para um amigo
Diana se vingou da rejeição do príncipe Charles saindo com outros homens

LUA-DE-MEL Diana teria se casado apaixonada pelo príncipe Charles e pela idéia de fazer parte de um conto de fadas. Mas a falta de sintonia entre eles se fez notar já na lua-de-mel, marcada pelo sexo esporádico e por ressentimentos – Charles usou uma abotoadura com dois Cs, presente da eterna amante, Camilla Parker Bowles. A loira feiosa, hoje esposa oficial, foi o maior obstáculo dos onze anos da união.

AMANTES Se no início a rejeição de Charles agravou a bulimia, aos poucos Diana passou a se vingar com outros homens. O primeiro teria sido seu guarda-costas Barry Mannakee, morto em um estranho acidente de moto após ter sido afastado do serviço real. O caso com o oficial do exército James Hewitt durou pelo menos cinco anos, mas foi a gravação da conversa íntima com o vendedor de carros James Gilbey que causou maior polêmica, ao mostrar uma Diana vaidosa e calculista.

RAÍZES NOBRES Os Spencer freqüentavam a corte e, quando criança, Diana brincara com o príncipe Andrew – Charles era 12 anos mais velho. Tina ressalta sua baixa voltagem intelectual, o decorrente complexo de inferioridade e o fato de ter sido criada para encontrar um marido adequado.

A TRAGÉDIA Tina não poupa os paparazzi ao detalhar a perseguição pelas ruas de Paris, que acabou com o Mercedes do playboy egípcio Dodi al Fayed destroçado em um túnel, em 1997. Ela pondera, porém, que a tragédia poderia ter sido evitada se o casal tivesse ficado na suíte do hotel Ritz, em vez de circular pela cidade. Diana fugia da imprensa, mas sabia manipulá-la para se manter uma celebridade.