Quem vai brilhar em 2008 • Home• Revista 2/1/2008
Rosanne Mulholland
Sensação no festival de brasília,a atriz interpreta mulheres fortes em quatro longas-metragens com estréias previstas para este ano

Mariane Morisawa

GLAUCIO DETTMARAssim, cara a cara, Rosanne Mulholland é uma menina de jeito delicado e traços finos. Mas a moça bonita de sorriso fácil é uma atriz que preenche a tela do cinema como poucas. Uma verdadeira musa. Em 2006, ela participou de cinco filmes, mas somente um, O Magnata, estreou por enquanto. Os outros saem em 2008: Nome Próprio, de Murilo Salles, Bellini e o Demônio, de Marcelo Galvão, Falsa Loura, de Carlos Reichenbach e Meu Mundo em Perigo, de José Eduardo Belmonte – os dois últimos foram exibidos no Festival de Brasília, em novembro.

A atriz que interpreta Daniela em Sete Pecados, na Globo, dá a Belmonte o crédito por tê-la descoberto num comercial quando ambos ainda moravam em Brasília. “Não sei o que seria da minha carreira sem ele”, diz. A estréia dela no cinema também foi obra do diretor, que a convidou para seu curta Dez Dias Felizes. Mas foi com o longa A Concepção que a sorte de Rosanne – que até então assinava Holland, por achar seu sobrenome muito difícil – mudou. Sempre escalada para papéis de mocinhas meigas e apaixonadas, ela interpretou Liz, uma jovem festeira e sensual. “E, então, o pessoal de São Paulo me descobriu”, diz a atriz de 27 anos, que passou a ser considerada para viver mulheres fortes e determinadas.

Nascida e criada em Brasília, a filha de uma funcionária pública e de Timothy Mulholland, atual reitor da Universidade de Brasília, admite que “amarelou” diante da instabilidade da vida artística e achou mais seguro cursar a faculdade de Psicologia numa tentativa de garantir o futuro. “Uma das dificuldades desta profissão é você não conseguir planejar nada, mas já vi que dou um jeito, sempre aparece alguma coisa”, diz Rosanne, com a segurança de quem escolheu o caminho certo.