Internet • Home• Revista 3/6/2007
A dor de cabeça de Cicarelli
Nos três dias em que estiveram liberadas na internet, as cenas quentes do namoro de DANIELLA CICARELLI e TATO MALZONI, que completa um ano, foram vistas por 800 mil pessoas

"Ela está desanimada com essa história de as pessoas novamente terem visto ela e o Tato na praia", disse uma amiga de Cicarelli

A modelo e apresentadora Daniella Cicarelli e o empresário Renato Malzoni Filho, conhecido como Tato, ganharam uma dor de cabeça justo no mês do aniversário de um ano de namoro. Depois de perderem na Justiça, na segunda-feira 25, uma ação movida contra o site YouTube - que, em agosto passado, colocou no ar um vídeo onde os dois aparecem namorando numa praia da Espanha - a curiosidade sobre a intimidade do casal reacendeu. Liberadas para exibição novamente, as imagens do romance, cuja veiculação estava proibida desde o início do ano, voltaram a ser acessadas pela internet. "Foram 800 mil acessos em três dias!", comentou uma amiga da apresentadora do Beija Sapo e Batalha de Modelos, da MTV. "Ela está desanimada com essa história de as pessoas novamente terem visto ela e o Tato na praia."

Segundo a mesma amiga, o namoro segue inabalável, apesar do episódio YouTube e das saídas de um e de outro desacompanhados. No sábado 30, Tato esteve em uma festa junina sem Cicarelli. Duas semanas antes, ela tinha sido vista sozinha numa festa em uma boate paulista.

Baixo-astral
A ação contra o YouTube, que deixou Cicarelli de baixo-astral, também poderia doer no bolso dela. "Como o juiz julgou a ação dela e do namorado improcedente, os dois foram condenados a arcar com as custas processuais e os honorários advocatícios", explica o advogado Rony Vainzof, sócio do escritório Opice Blum, especializado em direito eletrônico. Três dias depois, porém, na quinta-feira 28, o Tribunal de Justiça de São Paulo ordenou nova retirada do vídeo, estabelecendo uma multa de R$ 250 mil para o descumprimento da ordem. "Foi uma decisão acertada do tribunal e favorável à questão da privacidade", afirmou Rubens Tilkian, advogado de Tato.