CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA

*Ouça um trecho da faixa Colombina
É necessário ter instalado o plug-in Windows Media Player

Soul

As Segundas Intenções do Manual Prático...
Qualidade técnica e arranjos cuidadosos marcam
CD de Ed Motta

Ramiro Zwetsch

Divulgação
Divulgação
Ed Motta e seu novo CD: tecnicamente bom, mas aquém de suas possibilidades

A voz potente foi sempre a carta na manga de Ed Motta. Com timbre único e inconfundível, o cantor apoiou-se sempre no ótimo desempenho vocal para embalar funks dançantes. No entanto, passados doze anos de carreira e quatro discos lançados, o cantor parece ter ficado aquém de suas possibilidades e de seu talento criativo. Em projetos paralelos, Ed Motta revelou-se excelente intérprete de bossa nova e de samba. Sua participação na trilha sonora de Pequeno Dicionário Amororoso e no disco Suíte Leopoldina, do sambista Guinga, são bons exemplos disso. Nos discos autorais, ao contrário, ele pouco flertou com ritmos genuinamente brasileiros. Tratou sempre o soul e o funk com muito rigor e perfeccionismo nos arranjos – o que sublinhou sua interpretação impecável.

No recém-lançado As Segundas Intenções do Manual Prático... – que marca a estréia de Ed Motta como letrista em quatro faixas – o compositor permanece fiel à fórmula musical que consagrou. “Mágica de um Charlatão” e “Colombina”, por exemplo, são parentes próximas de “Daqui pro Méier” e “Fora da Lei” – do disco anterior, Manual Prático Para Festas, Bailes e Afins. Com refrões contagiantes, ambas as faixas têm apelo e balanço para agitar pistas de dança e tocar nas emissoras de rádio.

O primor na construção dos arranjos se faz notar em cada faixa do disco, evidenciando bom gosto e qualidade técnica por parte do intérprete e de todos os músicos envolvidos no disco. Faz falta, no entanto, um pouco mais de ousadia na concepção do repertório. Tudo se parece um pouco com aquilo que Ed Motta já fez.

O frescor de novidade aparece, timidamente, em faixas isoladas. “Dez Mais um Amor” e “Assim, Assim” fazem cruzamentos com samba, sem perder a pegada funk. Pode estar aí a saída para um futuro trabalho um pouco mais inovador. Muita qualidade e pouca novidade

 

 Cinema
Bilheteria
Livros
Música
Televisão

Fique de olho

No Ibope
Exposição


| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três