CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA

Entrevista no limite

Gisele Vitória, Redatora-chefe

Julio Vilela
Gustavo e Zeca no Café Saint Etienne, em São Paulo: conversa liberada

A reportagem de capa sobre Zeca Camargo foi feita no limite do prazo. Depois de insistentes telefonemas sem retorno para o apresentador, o departamento de comunicação da Rede Globo informou na terça-feira 8 que todos os participantes do programa No Limite, inclusive Zeca, estavam proibidos de dar entrevistas. O veto era para evitar a revelação do nome do vencedor da gincana, cujas gravações já terminaram. Insatisfeita, a chefe da sucursal de Gente no Rio, Adriana Barsotti, enviou fax quarta-feira 9 a Evandro Carlos de Andrade, diretor da Central Globo de Jornalismo, insistindo no pedido. A redação já pensava em outra alternativa quando veio a resposta quinta-feira 10, às 17h25: a entrevista estava autorizada.

“A surpresa foi tanta que ligamos de volta para confirmar o OK, pois o fax chegou apagado”, conta Adriana. Tudo azul com o sinal verde, mas os assessores de Zeca Camargo não acreditaram. O fax foi repassado para seu empresário e só quando confirmou com a própria Globo, Zeca foi liberado para conversar com o repórter Gustavo Maia.

A entrevista foi marcada para as 11 horas de sábado, em São Paulo, em cima da hora. “Ele acordou com o som do interfone”, conta Gustavo. Zeca disse que precisava tomar um café antes. “Fomos ao Café Saint Etienne, nos Jardins, a dois quarteirões de seu prédio. Ele tomou dois ‘baldes’ de café.” Se a conversa com o anfitrião de No Limite começou numa mesa de bar, a entrevista do repórter Cesar Guerrero com a ex-primeira-dama de São Paulo, Nicéa Pitta, acabou na cozinha.

Sem a ajuda financeira do ex-marido, o prefeito Celso Pitta, Nicéa se adapta ao novo padrão de vida. Depois de ir três vezes a sua casa e aguardar Nicéa pedir aos filhos um aval para falar, Guerrero ouviu suas receitas de cozido, preparadas para gastar o tempo em casa. Num momento de descontração, o repórter se divertiu com um pedido de licença de Victor, filho de Nicéa, enquanto a mãe era clicada por Piti Reali pintando a parede do corredor: “Ele saiu do banheiro enrolado numa toalha rosa e pediu pausa nos flashes para passar”.

 



| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três