CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 LUA DE MEL
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS

 BUSCA

 ASSINE O BOLETIM
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ASSINATURAS
 FALE CONOSCO
 EXPEDIENTE
 PUBLICIDADE

 

  DINHEIRO PLANETA ISTOÉ
 
 

E dona Ruth não foi à festa dos 500 anos

Piti Reali
FHC, Maria e Jorge Sampaio: dois presidentes, uma primeira-dama

Foi um evento que agitou São Paulo. E de certa forma o Palácio do Alvorada. Todas as primeiras-damas prestigiaram a abertura da Mostra do Redescobrimento: Brasil + 500, no domingo 23, em São Paulo. Menos Ruth Cardoso. A mulher do presidente Fernando Henrique Cardoso teria tomado as dores das críticas feitas à destinação de verbas federais para o estande brasileiro na Feira de Hannover, na Alemanha. O estande, que é comandado por seu filho, Paulo Henrique Cardoso, recebeu quase um terço das verbas para a comemoração dos 500 anos. Os organizadores da mostra de São Paulo, presidida pelo banqueiro Edemar Cid Ferreira, não gostaram. Criou-se a saia justa. Os assessores da primeira-dama, no entanto, afirmam que ela estava apenas sentindo-se “indisposta”. Para que FHC não ficasse tão desacompanhado, o cerimonial posicionou a primeira-dama portuguesa, Maria José Rita, entre ele e seu colega português, Jorge Sampaio. FHC entrou na cerimônia mudo e saiu calado. Ficou menos de 30 minutos, não discursou nem leu a carta de reivindicações entregue pelas tribos indígenas xavante e mehinaku, que dançaram para as autoridades. Em compensação, o banqueiro Edemar Cid Ferreira discursou três páginas. Quem não teve tempo nem de preparar discurso foi o governador Mário Covas. Depois de cinco dias descansando em Bariloche, na Argentina, ele chegou a São Paulo pouco mais de uma hora antes do evento. Teve de trocar de roupa no próprio aeroporto de Cumbica. “Não daria para ir até em casa”, explicou. Com ele estava Lila Covas, discretamente vestida num tailleur verde-oliva. “Não me preocupo com grifes”, disse. Já Maria Lúcia Alckmin, mulher do vice-governador, Geraldo Alckmin, preferiu um terninho branco, comprado na butique Daslu, onde trabalha sua filha mais velha, Sophia. Cercando ainda o presidente solitário estavam os casais formados pelo diretor de projetos institucionais da Rede Globo, Mário Cohen, com a namorada Adriana Matoso, e a presidente do Museu de Arte Moderna, Milu Vilella, com seu namorado, Manolo Lopes.

LEIA
TAMBÉM

A recordação
de Elba

A fantasia das mulheres coloniais em Salvador

A bolsa, e o dedo, de Daniela Mercury

Zeca celebra muitos 500

Caetano fala
com Caetano

Descoberta do Brasil em ritmo
de axé

E dona Ruth
não foi à festa
dos 500 anos

 

Copyright 1996/2000 Editora Três