CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 LUA DE MEL
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS

 BUSCA

 ASSINE O BOLETIM
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ASSINATURAS
 FALE CONOSCO
 EXPEDIENTE
 PUBLICIDADE

 

  DINHEIRO PLANETA ISTOÉ
 

 

Televisão

Lorena de casa nova
Lorena Calábria troca a TV Cultura pelo Multishow e diz que abdicou do casamento no papel porque “basta dormir junto para estar casada”

Flávio Sampaio

Silvana Garzaro
“Se quisesse ganhar dinheiro iria para a internet. Apenas tinha chegado a hora de mudar”, diz Lorena

Quem estava acostumado a ligar a tevê no Metrópolis, da TV Cultura, em busca de uma boa agenda cultural, vai ter uma surpresa a partir de maio. A apresentadora Lorena Calábria encerra, após sete anos, seu contrato com a emissora pública. Ela terá um programa também na área de cultura, ainda sem nome, no canal pago Multishow (Net/Sky). Enquanto a novidade não vai ao ar, Lorena é vista aos sábados, às 19hs, no USA, também da Net, apresentando o Cinema Motion. A mudança, segundo ela, não tem motivação financeira. “Se quisesse ganhar dinheiro iria para a internet. Chegou a hora de mudar.”

A descontração e simpatia definiram o estilo desta carioca de 35 anos, considerada uma das mais charmosas apresentadoras da tevê. Mas Lorena não é só mais um rostinho bonito. Trabalha nos bastidores escrevendo e produzindo quase tudo o que faz. Formada em comunicação, começou na TV Manchete em 1985 como roteirista e repórter do musical Som Maior. No ano seguinte, apresentou o Clip Clip na Globo. “Fui a primeira VJ do Brasil”, diz. Quatro anos mais tarde integrou a primeira equipe da MTV brasileira apresentando o Cine MTV. Está casada pela terceira vez, com o roteirista Maurício Arruda. Como nas outras duas uniões – com o jornalista Cadão Volpato e o cinegrafista Diego Karman – Lorena segue o padrão “nada de papéis”. “Para estar casado basta dormir junto muito tempo”, defende.

O sobrenome Calábria foi herdado do pai, Davide, italiano nascido na região da Calábria. Ele chegou ao Rio em 1955, casou-se com Wilma, mãe de Lorena e montou uma academia de ginástica. Até os 30, Lorena não ligava para a aparência. “Era rata de praia. Mal cuidava da pele”, diz. Hoje é fã de esmaltes e batom, e faz ginástica. Somando sorte e competência, ela tem a fórmula para mais um sucesso na tevê.

 


Copyright 1996/2000 Editora Três