Logo
 
Cinema
Irma Vap - O Retorno
Longa de Carla Camurati é pálida tentativa de aproximação com a peça de sucesso
 

Mesmo quem não gostava de teatro e não ia ao teatro provavelmente foi ver O Mistério de Irma Vap nas décadas de 80 e 90. A peça ficou 11 anos em cartaz e foi um dos maiores sucessos da história do teatro brasileiro, graças ao talento de Marco Nanini e Ney Latorraca, além das inacreditáveis trocas de roupa a jato. Como virou moda adaptar peça para o cinema, chega às telas Irma Vap – O Retorno, dirigido por Carla Camurati.

Que fique claro aos mais desavisados: Irma Vap – O Retorno não é uma filmagem do espetáculo. Brincando com clichês, a trama do longa apenas gira em torno da peça. O filho de um dos produtores decide remontar Irma Vap. Como um dos atores (Latorraca) vira diretor, e o outro (Nanini) está numa cadeira de rodas, dois jovens (Thiago Fragoso e Fernando Caruso) ensaiam a peça dentro do filme. Além de viverem os dois atores originais, Nanini e Latorraca se vestem de mulher, interpretando respectivamente a irmã de um, a deliciosamente inconveniente Cleide, e a mãe do outro.

O Retorno é uma homenagem ao teatro e ao ator. E conta com dois nomes de peso. Era para ser uma delícia, mas chega a constranger às vezes. A falta de ritmo do filme tira qualquer graça possível das piadas, por mais talentosos que sejam seus atores. O longa de Camurati empalidece ainda mais frente à reencenação da peça de sucesso, ao final. Aí, sim, dá para lembrar por que O Mistério de Irma Vap foi um fenômeno. Retorno sem graça