14 de fevereiro de 2000
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca
 



 

Valéria Valenssa

Foto: Ricardo Chvaicer/O Globo

Em 1990, Valéria Valenssa, então com 18 anos, estava certa de que ganharia o concurso Garota de Ipanema. Mas os jurados, entre eles o designer gráfico Hans Donner e sua ex-mulher, Isadora Ribeiro, classificaram Valéria em quarto lugar. Drible do destino. Dias depois, a mulata estava na Rede Globo concorrendo ao posto de estrela da vinheta de Carnaval da emissora.

Por 20 minutos, sorriu e sambou como ninguém e ganhou a vaga. Nos dois anos seguintes, porém, ela ficou fora do ar. Foi em 1993, com a pintura feita apenas nos quadris, como mostra a foto, que voltou a ser chamada pela equipe de Donner e conquistou de vez o posto de Globeleza. "Naquele ano, fiquei no ar um mês e meio.

A vinheta foi ao ar no réveillon e só saiu depois do Carnaval", lembra Valéria, que casou com Donner. Este ano, Valéria aparecerá como uma índia da época do Descobrimento e uma mulher futurista. "Foram quatro dias de gravação e fiquei 19 horas no estúdio em cada um deles", diz.

Seu contrato termina em 2001, mas ela não pretende renová-lo, apesar de manter as mesmas medidas: 1,68m de altura, 82cm de busto, 60 de cintura e 90 de quadril. Seu projeto agora é maior: "Quero ter filhos".


Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home