Reportagens  
Família
Um bebê para inspirar
O ator Mário Frias festeja o primeiro mês de Miguel, seu filho com Nivea Stelman, e conta
que vendeu um apartamento para equipar um estúdio de música e se lançar como cantor
texto: Nina Arcoverde Mansur
foto: Leandro Pimentel

Enviar para um amigo

“O Mário é um paizão. Vou dormir depois
do jantar e ele fica com o Miguel até as 4
horas da madrugada”, diz Nívea Stelmann
Desde o nascimento do primeiro filho, Miguel, há quase dois meses, Mário Frias, 33 anos, mudou radicalmente sua rotina. Pai de primeira viagem, o ator tem passado as madrugadas em claro para cuidar do bebê enquanto a mulher, a atriz Nívea Stelmann, 30, descansa um pouco da corrida diária dos cuidados com o filho. “O Mário é um paizão. Vou dormir depois do jantar e ele fica com o Miguel até as 4 horas da madrugada”, diz ela, que é só elogios ao comentar a desenvoltura do marido para cuidar do menino. “O Mário não é inseguro, tem jeito com criança, participa de tudo, de trocar fraldas a dar banho”, elogia.

Orgulhoso, Mário Frias diz que fica debruçado sobre o berço observando cada movimento do bebê. “Se ele acorda, fico brincando até ele se distrair e dormir novamente”, conta. O ator explica que sua facilidade com crianças se deve a uma espécie de “estágio” que fez ao cuidar de dois sobrinhos que moravam com mãe, Maria Lúcia. “Ajudava em tudo e isso me deu experiência”, diz. Apesar disso, admite que se assustou quando o filho teve as primeiras cólicas. “Deu um desespero. A gente olhava um para a cara do outro sem saber o que fazer”, diverte-se. Agora, sonha com o dia em que poderá levar Miguel ao Maracanã para assistir a um jogo do Botafogo, time do qual é torcedor. “Durante a gravidez ficava acariciando a barriga da Nívea e cantando o hino do clube pra ele.”

A nova rotina que Miguel impôs ao casal não alterou a vida profissional de Mário Frias. Ele se divide entre as gravações de Senhora do Destino, na qual vive o deputado Thomas Jefferson, inspirado no prefeito reeleito do Rio, César Maia, e o lançamento oficial de sua banda de rock, a Zona Zero, programado para fevereiro de 2005. O sonho de se tornar músico, que estava adormecido há 16 anos, quando resolveu começar a trabalhar num cartório, é hoje seu grande projeto profissional. “Eu me envolvo mais com a banda do que com meu trabalho na Globo. É muito mais um projeto de vida”, afirma. Segundo ele, a dificuldade em viver personagens mais maduros – como o que interpreta na novela de Aguinaldo Silva – o fez buscar novos desafios na música.

Por isso, há dois anos o ator decidiu vender um apartamento de dois quartos na Barra da Tijuca, no Rio, avaliado em cerca de R$ 150 mil, para equipar um estúdio de última geração. “Dá medo esse investimen-
to todo. Mas eu gosto desse medo. E ficar sem dinheiro não me assusta”, garante ele, que tem apoio irrestrito da mulher, com quem está casado há 1 ano e meio. “Quando investimos, sabíamos que o retorno seria lento”, diz Nívea. “Agora é só esperar. Tenho certeza de que dará certo. É o sonho dele.”
Comente esta matéria