7 de fevereiro de 2000
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca
 



Na passarela e nas ruas com Gisele Bündchen

Foto: Silvana Garzaro
Erica entre Gisele e o maquiador Duda Molinos: maratona da moda

Das 19 horas de quarta-feira 26 de janeiro às 21 horas da segunda 31, a editora Erica Benute viveu um único acontecimento: o MorumbiFashion. Como nenhum outro dos mais de mil profissionais de imprensa credenciados para a cobertura, ela correu atrás da principal atração do maior evento da moda brasileira: a modelo Gisele Bündchen, de 19 anos. Na quinta-feira 27, Erica foi a primeira a falar com o pai dela, que nunca antes havia assistido ao vivo a um desfile da filha. No dia seguinte, entrevistou, por telefone, o antigo empresário da modelo, John Casablancas, da agência Elite de Nova York. Mal dormiu na noite de sábado 29 para domingo 30, rodando alguns dos mais badalados pontos da cidade, ao lado da fotógrafa Silvana Garzaro, em busca de um flagrante de Gisele. No domingo, a árdua batalha chegou a um desfecho. Responsável pela seção de moda de Gente, Erica foi a primeira a encontrar Gisele, no dia em que ela seria a sensação do MorumbiFashion. Durante duas horas, driblou oito seguranças do evento e três assessores de imprensa da modelo para acompanhá-la nos bastidores e finalmente, às 18h15, ela conseguiu 15 minutos de uma conversa a sós com Gisele, que se estendeu por mais 15 minutos, enquanto o maquiador Duda Molinos a preparava para o desfile. Do lado de fora do camarim, mais de uma centena de cinegrafistas, fotógrafos e jornalistas tentavam forçar a entrada, causando um dos maiores tumultos do evento.

Foto: Leandro Pimentel
Gabeira com Edmundo: do Verão da Abertura ao topless legalizado no Rio

O repórter Luís Edmundo Araújo tinha 8 anos de idade e cursava a segunda série do ensino fundamental quando uma legião de brasileiros expatriados por divergir do regime militar de 1964 retornou do exílio. Há 20 anos, o Brasil abria uma válvula de escape da ditadura, abrandava a censura política e de costumes e vivia um fértil período de criatividade intelectual e de geração de modismos. Era o Verão da Abertura. Nas últimas três semanas, Luís Edmundo correu atrás dos personagens que só conheceu por recortes de jornais da época. E encontrou uma geração naturalmente mais conservadora. Deputado federal pelo Partido Verde, o outrora guerrilheiro Fernando Gabeira, que desembarcou no Verão da Abertura lançando a moda da tanga de crochê - para homens -, se viu surpreendido com um pedido da produção de Gente: vestir uma sunga (sem crochê) para posar para a foto na praia. “Pode ficar ridículo”, ponderou o deputado, que raramente vai à praia. “Fiquei surpreso ao descobrir que, naquela época, o topless não colou porque as pessoas jogavam areia nas mulheres”, conta o repórter.

Luciano Suassuna
Diretor de Redação

 

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home