Veja também outros sites:
 
   
Saúde
 

Pílulas

» Modifique seu comportamento,
altere os padrões
de comportamento associados à alimen-tação, estilo de vida socioafetivo e biofísico

» Pratique ativida-
de física regular, estabelecendo objetivos realistas e mensuráveis a curto e a longo prazo

» Envolva-se com
a atividade física recomendada,
tenha a percepção
do programa, que
pode ser demorado

» Procure um profissional do exercício qualifica-
do e atualizado, que demonstre interesse sincero, com características entusiásticas

» A quantidade de atividade física du-
rante as sessões de treinamento, nem sempre tem como conseqüência o melhor progresso

 

É fácil ser obeso
A capacidade de armazenar gordura é histórica no ser humano e as causas da obesidade diferem de uma pessoa para outra. Reconhecer isto é importante para o tratamento e para a prevenção

Marcos Ferreira

 
Felipe Barra
Ferreira: engordar por gula é coisa do passado

Na pré-história, a luta árdua para conseguir alimentos, a maior exposição ao frio e a necessidade
de movimentação constante para encontrar condições ambientais que permitissem a sobrevivência em situações infinitamente menos confortáveis que as atuais, exigiam de nossos antepassados grande capacidade de estocar energia e
de obter proteção térmica. É natural que houvesse em seu organismo mecanismos (genes para promover adipogênese, processos enzimáticos, etc.) que facilitassem a obtenção desta reserva e desta proteção térmica – e o resultado final era a produção constante de gordura, que também era rapi-damente metabolizada para prover as grandes queimas calóricas.

Esta capacidade de armazenar gordura – essencial para nossos antepassados – tornou-se prejudicial com os pa-drões de vida atuais, nos quais a excessiva oferta de alimentos, acoplada aos crescentes confortos da vida moderna e à tendência a nos tornar cada vez mais inativos, nos conduz à obesidade.

A obesidade refere-se à condição em que o indivíduo apresenta uma quantidade excessiva de gordura corporal, diferindo do termo sobrepeso, que pode ser definido como um peso corporal que excede o peso normal ou padrão de uma determinada pessoa.

O principal mecanismo da obesidade é um desequilíbrio entre a formação e a destruição de células adiposas (gordura) no organismo. A formação dessas células adiposas pode não se dar, obrigatoriamente, pelo fato de a pessoa comer muito ou gastar pouco do que come. Em vários momentos da história humana, considerou-se que a obesidade era causada por desequilíbrios hormonais. Em outros momentos, acreditou-se que a gula, em vez da disfunção hormonal, era a principal causa da obesidade. Resultados de pesquisas fisiológicas recentes mostram que a obesidade pode ser resultante de um fator ou da combinação de vários fatores. Sua etiologia, ou causa, não é tão simples como se acreditava.

A obesidade foi relacionada aos traumas fisiológicos e psicológicos e a um componente genético. Entretanto, é possível ser obeso basicamente em virtude do estilo de vida. Portanto, a obesidade possui uma origem complexa e suas causas específicas indiscutivelmente diferem de uma pessoa para outra. Reconhecer isto é importante para o tratamento já existente e para prevenção de seu início.

Quando o ser humano passar a ser entendido como um todo, que este possui uma parte biofísica e outra socioafetiva e que passa por momentos que devem ser avaliados periodicamente, o tratamento passa a ter seus erros minimizados, com maiores possibilidades de acerto.

Marcos Ferreiraé formado em educação física, com especialização
em fisiologia do exercício e é coordenador geral da academia
Headway, em Brasília
Comente esta matéria