Veja também outros sites:
 
   
Reportagens
   
 
Fotos: Edu Lopes
“Foi um beijãão, profissional! O ruim é que foi com o meu irmão olhando”, conta Vanessa, sobre o primeiro beijo de língua, aos 11 anos
Fotos: Edu Lopes
“Havia uma desarmonia sutil no meu rosto, então afinei as laterais do nariz’’
Vanessa Gerbelli, sobre a cirurgia plástica após Mulheres Apaixonadas
Fotos: Edu Lopes
Ela se mudou há
seis meses para a
casa do diretor da
Globo, Vinícius Coimbra
 

Ensaio
O sucesso floresce para
Vanessa Gerbelli
A atriz que mexeu com o Brasil na cena em que foi atingida por uma bala perdida em Mulheres Apaixonadas, afirma sua vocação dramática em Da Cor do Pecado, conta que deu seu primeiro beijo aos 11 anos e diz que foi conquistada
pelo marido com o ingresso de um cambista

Clique aqui para conferir o ensaio fotográfico

Daniel Bergamasco

 
Fotos: Edu Lopes

Após frear o carro que havia pegado escondido do pai, Giancarlo Gerbelli, então com 14 anos, olhou para o banco
de trás onde sentavam a irmã caçula e o amigo Felipe. Beijando a mão da namorada, que estava a seu lado, ele sugeriu: “Vanessa, tudo o que fizermos aqui, vocês fazem
aí”. Assim vieram um carinho no cabelo, um beijo no rosto, até que Vanessa, imitando o casal, experimentou o primeiro beijo de língua, aos 11 anos. “Foi um beijãão, profissional (risos)! O ruim é que foi com o meu irmão olhando”, con-
ta a atriz Vanessa Gerbelli, 30 anos, sucesso na novela
Da Cor do Pecado. “Não tive privacidade nem no meu
primeiro beijo!”, suspira.

Ficar sozinha era uma dificuldade de Vanessa desde a infância em São Bernardo do Campo (SP), onde vivia com os pais, o irmão, os avós e duas tias. “Era ‘a’ família italiana”, diz ela, que cresceu na cantoria dos saraus de sua casa, a postos com seu xilofone. A moreninha brilhava nos teatros da escola e chegou a desbancar loirinhas para viver Alice no País das Maravilhas. “Ficou uma Alice de cabelo escuro, uma graça. Foi ali que vi: essa menina tem talento”, conta a mãe, Eleni. Na juventude, Vanessa apurou a voz de soprano, atuou em musicais e integrou um quinteto de jazz. Fez faculdade de artes plásticas, cursos de teatro e encenou clássicos como Turandot. A projeção veio com o musical Cazas de Cazuza, que tocou o diretor Dênis Carvalho. Ele a convidou para a novela O Cravo e a Rosa (2000) e a atriz mudou-se para o Rio. “Chorei muito. Até hoje arrumo o quarto do mesmo jeitinho, como se ela estivesse lá”, diz a mãe.

Fotos: Edu Lopes
“Escrevi o papel pensando nela. Vanessa tem um grande
talento cômico e sensualidade’’ João Emanuel Carneiro, autor
de Da Cor do Pecado, que não a conhece pessoalmente

Três anos após estrear na tevê, Vanessa virou estrela
como Fernanda em Mulheres Apaixonadas. A morte da personagem por uma bala perdida, num ano em que o Rio vivia o auge desse drama, mexeu com o Brasil. A cena levou o Ibope da emissora aos 58 pontos. “Não conseguia dar três passos sem que alguém viesse falar comigo. Uma vez o porteiro de um hotel me abraçou tremendo e disse: ‘É muita injustiça!’”, recorda. “Percebi que estava falando não só da personagem, mas da injustiça do País.” O sucesso triplicou seu salário, mas Vanessa ainda sonha com a casa própria. Depois de Mulheres Apaixonadas, fez a plástica que planejava desde que começou a aparecer na tevê. “Havia uma desarmonia sutil no meu rosto, então afinei as laterais do nariz”, diz ela, que aos 18 anos fez lipoaspiração para tirar
o culote. Ex-escrava de dietas, hoje desenha com 58 quilos os curvilíneos 1,72m de altura – está seis quilos mais magra do que quando estreou na tevê. “Fiz uma reeducação alimentar que mudou minha vida”, diz.

Em Da Cor do Pecado, a atriz empresta a boa forma para a sensual Tancinha, que faz um hilário par romântico com Matheus Nachtergaele. “Me envaidece ter sido chamada para trabalhar com um ator que admiro muito”, diz. A dupla se encontra semanalmente para ensaios na casa do ator, junto de colegas como Francisco Cuoco. “A Vanessa traz bolo, eu passo um cafezinho”, diz Matheus. “Em comédia, temos que nos azeitar, saber como o outro vai agir na cena. Não só decorar texto.” O empenho ajuda no resultado da trama, com Ibope médio de 40 pontos – dia 6, chegou a 49, recorde em 10 anos. “Escrevi o papel pensando nela. Vanessa tem grande talento cômico e sensualidade”, vibra o autor João Emanuel Carneiro, que nunca a viu pessoalmente.

A boa fase da atriz se estende ao casamento. Ex-namorada do cantor Paulinho Moska, Vanessa e seu cocker Marlon mudaram-se há seis meses para a casa de Vinícius Coimbra, 33, um dos diretores de Celebridade. O romance começou quando ele comprou com um cambista o ingresso de uma montagem de Hamlet que ela estava louca para ver. “Foi um cavalheiro”, sorri. No dia-a-dia, ela retribui o romantismo. “Quando viajo, deixo bilhetinhos para ele ir ao aparelho de som e ouvir uma música especial”, diz ela, que pensa em casar no papel. “Usamos uma aliança simbólica. Tenho a coisa das tradições, de ser romântica.”

Agradecimentos:
Cabelo: Paulo Persil/ L’Equipe.
Maquiagem: Orlando Rosseto/ L’Equipe.
Figurino: Zara/Shopping Morumbi

Comente esta matéria