Veja também outros sites:
 
   
Internet
   

Foco / MP3
Internauta põe a mão no bolso

Marina Monzillo

 

Um dos atuais dilemas dos internautas é: trocar arquivos de música em sites
gratuitos como o Kazaa, o que, além de ser uma prática ilegal, deixa seu compu-
tador aberto a vírus e hackers, ou adquirir as faixas de um site licenciado, com
garantia de segurança, mas pagando pelo serviço?

Os números apontam que há uma considerável onda de usuários da web que está preferindo pôr a mão no bolso e não infringir a lei.

O site brasileiro iMúsica (www.imusica.com.br), primeiro e único de vendas de músicas para download no País, vem crescendo vertiginosamente desde seu lançamento, há quase quatro anos. Só no primeiro bimestre de 2004, a quantidade de adeptos subiu 413% em relação ao mesmo período no ano passado.

“Acredito em vários fatores, como a obtenção de novos catálogos, cada vez mais relevantes, com novos artistas todo mês, e a forte divulgação do iTunes (software
de vendas de downloads da Apple para os Estados Unidos)”, explica Rodin Spielmann, diretor do iMúsica.

Ele explica que a grande dificuldade ainda é negociar com gravadoras e editoras os
direitos das canções. “O mercado fonográfico enfrenta uma crise, e a preocupação
deles é com a parte maior da empresa, a venda de CDs, e não com a tecnologia.
É uma época de incertezas, e ninguém quer ser a cobaia.” Atualmente, o iMúsica comercializa o catálogo de mais de 60 selos. Porém apenas duas gravadoras multi-
nacionais disponibilizaram seus fonogramas.

Hits da web
As músicas mais compradas e baixadas pelos usuários do site iMúsica:
Leandro Pimentel
1º “Tô Nem Aí”
Luka
2º “Epitáfio”
Titãs
3º “Tô Nem Aí”
(Extended RMX)
Luka
4º “Admirável Chip Novo”
Pitty
5º “Porta Aberta”
Luka
6º “Aquarela”
Toquinho
7º “Carla”
LS Jack
8º “Primeiros Erros (Chove)”
Capital Inicial/Kiko Zambianchi
9º “Teto de Vidro”
Pitty
10º “Rindo à Toa”
Falamansa

Por trás da tela
“Viva a internet”, diz Ana Carolina

Divulgação
Ana Carolina: em breve,
um novo site estará no ar

Em turnê com seu show Estampado, Ana Carolina
ainda encontra tempo para acompanhar a confecção de
seu novo site, que deve aportar na rede neste semestre.
A cantora, que se apresenta no Rio nos dias 20 e 21,
deu à Gente sua opinião sobre a web.

Como é sua relação com a internet?
Adoro as possibilidades quase infinitas da web. Adoro também me corresponder com os amigos – aliás, viva a internet! É uma delícia essa correspondência escrita, imediata.

Tem um site oficial?
Tinha, mas tirei do ar no ano passado. Foram muitas mudanças na minha vida, e achei que o site tinha que ser também reformulado a partir dessa nova realidade. Estamos finalizando um novo site (www.anacarolina.art), que em breve estará no ar. Irei acompanhar diariamente. Essa foi uma razão das mudanças que resolvi fazer.

Qual a sua opinião sobre a troca de músicas pela rede?
Acho legal, existem pesquisas que comprovam que fora do Brasil, por exemplo, o
MP3 acabou impulsionando a venda de CDs. É também, sem sombra de dúvida, uma ferramenta importante para grupos e artistas novos ou alternativos, já que é uma possibilidade real e democrática de divulgação. O que eu não gosto, é claro, é da
pirataria e dos espertos que, em nome dessa democratização, usam a música para
ganhar dinheiro, sem pagar quem tem direitos sobre ela.

Quais sites mais acessa?
Os sites dos artistas. Pop, rock, música eletrônica, MPB, literalmente, o que cai na
rede, de música, me diverte. E notícias, porque, com a rapidez dos acontecimentos
hoje em dia, é muito importante a agilidade da internet.