Veja também outros sites:
Home •• Revista ••• Reportagens  
Reportagens

27/10/2003

   
Dicas para obter uma luz adequada

Não ofusque as pessoas, ofuscar
é como buzinar
nas orelhas

Quanto mais chapada a luz, mais as rugas do rosto aparecem. Quanto mais suave, menos rugas ficam à mostra

Nunca use em
casa aquela luz de supermercado, a
de sódio meio amarelada. Não há tesão que resista

Use em casa luz incandescente, ela é mais quente, aconchegante, lembra a luz de vela e estimula o namoro

“Quero destacar as curvas da arquitetura de Brasília, dar visão aos detalhes’’
Peter Gasper

 

Profissão / Peter Gasper
Ele faz a luz
Nascido na Alemanha, o iluminador Peter Gasper veio para o Brasil fugindo da guerra, estudou arquitetura, foi cenógrafo da Globo e hoje é o responsável pela luz dos monumentos de Brasília

Cecília Maia

 
Felipe Barra
Ele iluminou Frank Sinatra no Maracanã e o papa no
aterro do Flamengo: “A beleza das obras de Niemeyer está comprometida por aquelas terríveis luzes amarelas sobre pedras brancas”, diz Peter, que já refez a luz da Catedral e do Memorial JK

Assim como Deus um dia mandou que se fizesse a luz, Peter Gasper, 63 anos, o maior iluminador do Brasil, também quer fazer o mesmo, só que no coração do País: na Praça dos Três Poderes em Brasília. É lá que Peter vai imprimir seu estilo, que segundo ele próprio define, busca ressaltar a poesia das formas. “A beleza das obras de Oscar Niemeyer está comprometida por aquelas terríveis luzes amarelas sobre pedras brancas”, critica. De fato. À noite, a praça fica praticamente às escuras e as parcas luzes existentes – algumas efetivamente amarelas – mal ressaltam os monumentos. O governo do Distrito Federal reconheceu a deficiência e na sexta-feira 10 aprovou o projeto do iluminador. “Quero destacar as curvas da arquitetura de Brasília, dar visão aos detalhes e trabalhar com claros e escuros para tornar o ambiente mais agradável”, explicou.

Para chegar ao coração do País, Peter aproveitou-se da amizade com o arquiteto Oscar Niemeyer, cultivada desde que iluminou o sambódromo no Rio de Janeiro. “Eu vivia falando mal da iluminação de Brasília. Dizia para o Oscar que aquilo estava acabando com a obra dele”, afirma. Tanto insistiu que um dia o arquiteto o apresentou ao governador Joaquim Roriz. Resultado: Peter deu opinião na nova iluminação do parque da cidade, nas luzes da Esplanada dos Ministérios dos dois últimos natais e recebeu a tarefa de iluminar o Memorial JK e a Catedral, ambos concluídos. Agora pretende começar a mexer na luz da Praça dos Três Poderes antes do final do ano. “Vai depender de dinheiro”, avisa.

Em tudo o que fez na vida foi assim: por insistência. Nascido na Alemanha, Peter chegou ao Brasil com 11 anos de idade fugindo da guerra com a família. Passou a adolescência em Santa Catarina e mudou-se para o Rio de Janeiro para cursar arquitetura. A caminho da faculdade, passava sempre pela antiga TV Tupi, que lhe despertava imensa curiosidade. Ali fez amigos e arranjou seu primeiro emprego. Passou a dividir os estudos com a função de ajudante de cenógrafo, mas com o respaldo da arquitetura, não demorou para tomar a frente da cenografia. Quando se formou, já era um profissional de renome. “Ganhava mais que a maioria dos arquitetos”, lembra.

Trabalhou em outras emissoras até chegar à Rede Globo, onde formou uma geração de cenógrafos. Fez o cenário de todas as novelas das décadas de 60 e 70, mas um dia, depois de tanto brigar com os iluminadores, decidiu aprender sobre luz. “Fiz inúmeros cursos e me achei nesse caminho”, conta. Foi assim que reformulou a iluminação de todos os programas da Globo e pôs fim à chamada “luz chapada”, aquela luz branca e forte que ilumina tudo por igual. Criou as sutilezas e as nuanças. Ganhou fama e a Globo ficou pequena para ele. Iluminou o show de Frank Sinatra no Maracanã, a missa do papa no Aterro do Flamengo e por fim foi convidado para iluminar o Rock’n’Rio, quando, pela primeira vez no mundo, o público, e não só o palco, foi iluminado. “Coloquei 900 refletores no palco e 3.200 na platéia”, conta. O sucesso ele vai repetir no ano que vem, na versão portuguesa do Rock’n’Rio.

Comente esta matéria
 
 

Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 221
ENQUETE

O que você faz
para se preparar
para o verão?

QUEM SOU EU?

MULHERES
DO ISLÃ

VOCÊ É UMA CELEBRIDADE?

 BUSCA

ANIVERSÁRIO

Colocamos as principais notícias do ano que você nasceu em uma home page.
RESUMO DAS NOVELAS
Saiba o que vai acontecer durante a semana na sua
novela preferida
• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
 
| ISTOÉ | ISTOÉ DINHEIRO | PLANETA | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2003 Editora Três