Veja também outros sites:
Home •• Revista ••• Reportagens  
Reportagens

12/05/2003

   

Solidariedade
Lição de cidadania
Aos 13 anos, Aline Silva Santos dá aulas de reforço escolar para
50 crianças no quintal de sua casa, na periferia de Sorocaba

Fábio Farah

 
Claudio Gatti
Aline (à frente) e as outras professoras mirins
da Escolinha do Futuro: exemplos para o País

É sábado, quase 15h. Dezenas de crianças chegam à casa de Aline Santos Silva, no Jardim Ipiranga, bairro pobre de Sorocaba (SP). Com caderno e estojo nas mãos, elas se dividem no quintal entre três salas de aula improvisadas, diferenciadas apenas pela posição dos quadros-negros, caixotes e cadeiras escolares doados por uma escola municipal e dispostos sobre o chão de cimento e terra batida. “Quietos que a aula vai começar”, repreende Aline. Até as 18h, os alunos, entre eles sua irmã mais nova, revisarão as matérias escolares, com pausa para o recreio que inclui suco e pão recheado de carne
moída, presente do açougueiro Dorival
Batista Santos Filho, 33, pai de Aline.

A iniciativa, batizada de Escolinha do Futuro, conta com 50 alunos de escolas públicas da região que recebem, de graça, aulas de reforço e são motivados a estudar por quem fala a mesma língua. No ano passado, os sete primeiros pupilos de Aline tiveram uma formatura com direito a medalhas e diploma. Tornaram-se professores e a ajudam a cuidar das novas classes. Também foi nomeada uma diretora e uma inspetora de alunos. “Pego bastante no pé deles e não deixo fazerem bagunça”, garante a diretora Laís Maria da Silva, de 11 anos.

Melhor aluna da 7ª série da Escola Estadual Cecília Martins, Aline tem uma espectadora especial que acompanha as aulas à distância para não interferir: sua mãe. “A iniciativa partiu dela. Um dia amanheceu querendo ensinar”, orgulha-se Neuza da Silva, 32, que deixou a escola no sexto ano do ensino fundamental, mas pensa em voltar aos estudos graças à filha. “Quem sabe ela não pode me ajudar com as lições?”

Aline teve a idéia das aulas de reforço no primeiro ano do ensino fundamental. “Percebi
que muita gente não aprendia na escola verdadeira”, recorda-se. “Os alunos diziam que
os professores não sabiam ensinar.” Foi a senha para a professora mirim, que começou ajudando os primos. Dois anos atrás ela quis angariar mais alunos e foi, de porta em
porta, convidar outros garotos e garotas do bairro para as aulas. Hoje ela tem algo a ensinar não apenas às crianças carentes de Sorocaba, mas a todos. “Se a mudança
de mundo é baseada na educação das crianças, eu estou cooperando para que ela
comece aqui no Brasil”, filosofa Aline, que sonha em apresentar na tevê um programa educativo para crianças.

Comente esta matéria
 
 

Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 197
ENQUETE
Aline Moraes e Paula Picarelli interpretam as jovens homossexuais Clara e Rafaela que enfrentam o preconceito em Mulheres Apaixonadas.
O que você acha
do tema ser tratado
na novela das oito?
:: VOTAR ::
 
QUEM SOU EU?
 
FÓRUM
 BUSCA

RESUMO DAS NOVELAS
Saiba o que vai acontecer durante a semana na sua
novela preferida
TESTE
Você é Beijoqueiro ?
Engana-se quem pensa que beijo não define uma conquista. Descubra se você domina a arte de seduzir com os lábios!
• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
 
| ISTOÉ | ISTOÉ DINHEIRO | PLANETA | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2003 Editora Três