06 de dezembro de 1999
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca



Fernando Morais - de Paris

Passarelas da Europa assistem a desfile de escândalos
Sedução de menores, consumo de drogas e prostituição na agência de modelos de John Casablancas

Foto: Nelson Almeida/AE

Um escândalo está deixando de saia justa (ou de salto alto) o chamado “mundo fashion” europeu. Disfarçados de fotógrafo e modelo, respectivamente, os repórteres Donal MacIntyre e Lisa Brinkworth, da BBC de Londres, passaram um ano dentro de agências de modelos européias. O resultado da reportagem, que a BBC pôs no ar semana passada, é de balançar catedrais. Cocaína, sexo, homossexualismo e indução à prostituição são os pecados de que são acusados os diretores da maior agência de modelos do mundo, a Elite (dona dos passes de estrelas do coturno de Naomi Campbell e Cindy Crawford). Meninas eram seduzidas por diretores da agência e modelos masculinos eram aconselhados a trabalharem como “acompanhantes” de clientes da Elite em noitadas em boates parisienses e londrinas - tudo fartamente regado a pó. O principal acusado já dançou: é Gerald Marie, presidente da Elite Europa e ex-marido da modelo Linda Evangelista. Marie foi filmado duas vezes com a boca na botija: primeiro, quando oferecia 300 libras esterlinas (cerca de 900 reais) para a jornalista Lisa Brinkworth, de 32 anos, passar uma noite com ele. Depois, ao tentar seduzir, diante da câmera oculta, garotas de 13 anos que concorriam ao “Elite Look”, concurso que escolhe as melhores modelos da agência todo ano. O dono da Elite, John Casablancas, pediu desculpas públicas e disse que o documentário exibe “o lado negro da indústria da moda”. O repórter MacIntyre rebateu: “Desculpas não bastam. Esses caras têm que entender que vestir meninas com roupas de mulheres não as transforma em mulheres”.

Nome aos bois

O jornalista Augusto Nunes, diretor de redação da revista Época, nunca fez segredo das denúncias contra (o também jornalista) Mario Alberto de Almeida publicadas no excelente livro Notícias do Planalto, de autoria de Mario Sergio Conti. Semanas atrás, num debate com algumas dezenas de empresários do PNBE (Plano Nacional das Bases Empresariais), em São Paulo, Augusto contou tudo - com nomes, sobrenomes, apelidos e endereços. Nunes falou em on.

Viagra socialista

Já tem mais de dez anos a pílula que a imprensa está chamando de “viagra socialista”, oferecida pelo presidente cubano Fidel Castro (73 anos) ao rei Juan Carlos, da Espanha (61 anos), e a FHC (68 anos), na recente reunião de cúpula de Havana. Batizado de PPG5, o remédio cubano, assim como o Viagra, foi descoberto casualmente, em meio a uma pesquisa sobre colesterol. Ao contrário do medicamento da Pfizer, deve-se tomar uma pílula do PPG5 todos os dias, e não apenas antes da relação sexual. Quem costuma presentear os amigos com caixas de PPG5, toda vez que vai a Cuba, é o secretário do Meio Ambiente de São Paulo, arquiteto Ricardo Ohtake (57 anos), que jura nunca ter experimentado o medicamento.

 

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home