Veja também outros sites:
Home •• Revista ••• Reportagens  
Reportagens

03/06/2002

   
 
 Prensa Três
Aos 20 anos, Rita encantava Brasília como mulher do então deputado federal Gerson Camata
 Prensa Três
Em 1983, na posse do marido, como governador capixaba, foi a primeira-dama mais jovem do País
 Prensa Três
deputada federal, ao lado do senador Pedro Simon

“Queria que ela
ficasse cuidando das crianças’’
,
Senador Gerson Camata, marido da deputada

 

Política
A vice Rita
Filha de lavradores, Rita Camata tem filho de 1 ano e nove meses, foi miss-simpatia e já esbravejou com o marido, Gerson Camata, em ligação reproduzida em alto-falante

Cecília Maia

 
Leopoldo Silva

Exatamente como há 16 anos, quando Rita Camata entrou em casa e comunicou ao marido que era candidata, o senador Gerson Camata ouviu pela segunda vez, na semana passada, a mesma frase, acrescida de apenas uma palavra: “Sou candidata a vice!”. Gerson sentiu o mesmo desgosto de antes. “Queria que ela ficasse cuidando das crianças”, diz ele às voltas com o choramingo de Bruno, de um ano e 9 meses, e com a preocupação natural do pai que tem uma filha, Enza, adolescente de 14 anos. “Até sexta-feira ele só se alimentou da comida feita pela mãe”, lamenta ele, prevendo seu futuro de dono-de-casa. Mas a culpa foi dele mesmo.

Há 20 anos, quando conheceu Rita na porta da escola onde ela dava aulas para uma turma de jardim de infância, o então deputado federal, que articulava sua candidatura ao governo do Espírito Santo, já tinha decidido que ela seria a sua primeira-dama. Mas Rita, 20 anos, de beleza exuberante, ex-Miss Simpatia e ex-Rainha dos Estudantes, estava mais interessada em seguir a carreira de modelo. Era, portanto, pouco preparada para assumir o cargo. O futuro noivo então cuidou de passar-lhe ensinamentos. Enquanto namorava, levava livros para que Rita ganhasse mais cultura e assim pudesse circular com desenvoltura nas rodas políticas. O primeiro foi Os Irmãos Karamazov, do russo Fiodor Dostoiévisky. Seguiram-se outros clássicos da literatura mundial, e a bela, apaixonada, mostrou ali o que seria uma marca de sua vida pública, a determinação. “Discutíamos todos os livros”, lembra Gerson.

Rita se tornou a primeira-dama mais nova do País, formou-se em jornalismo enquanto cuidava da parte assistencial do governo e chegou a ensaiar a carreira fazendo entrevistas com os políticos que visitavam o marido. Era uma primeira-dama ciumenta e brava. Certa vez, quando o governador precisou passar uma noite em São Paulo e não conseguiu avisá-la, ela protagonizou uma situação hilária. Na manhã do dia seguinte, de volta a Vitória, Gerson Camata foi direto inaugurar uma central telefônica. Na cerimônia, a primeira ligação seria a dele e a conversa, ouvida em praça pública. O governador pediu então que telefonassem para a mulher. Na linha, antes de ouvir qualquer explicação, Rita esbravejou ao ouvir o alô do marido: “Onde você tava, vagabundo?”, gritou ela ao telefone, tendo sua voz reproduzida pelo alto-falante instalado no local, para o constrangimento do então governador.

Como jornalista, ela não foi longe. Em compensação, se encantou com a vida política. Passou a freqüentar as reuniões do PMDB local, meteu-se em articulações complicadas e por fim deixou o marido-professor estatelado quando avisou que seria candidata a deputada federal. “Como agora, eu não tive o que dizer. As coisas já tinham acontecido”, revela o senador.

Felipe Barra

Há pouco mais de um ano e meio, com o filho Bruno, o marido e a filha Enza, de 14 anos

Hoje, aos 41 anos, quatro mandatos de deputada federal, sempre a mais votada no Estado, Rita Camata fala com tranqüilidade sobre sua beleza. “Não é demérito ser bonita, não é porque é bonita que é incompetente”, responde. Bem diferente da insegura jovem de 26 anos que chegou ao Congresso Nacional rejeitando o título de Musa da Constituinte. “Eu queria ser vista pelo meu trabalho e não pela beleza”, dizia sempre. E conseguiu. Caiu nas graças do deputado Ulysses Guimarães, mestre que lhe ensinou outras mazelas da política. Na Constituinte apresentou 200 projetos de lei, dos quais 68 foram aprovados, está em quinto lugar no ranking dos deputados que mais aprovaram projetos e presidiu a frente parlamentar da infância, quando elaborou o Estatuto do Menor. Foi, por isso, a única parlamentar brasileira a ganhar o prêmio Criança e Paz do Unicef.

“A Rita é admirável, esforçada e lutadora”, elogia o marido. De fato. Rita de Cássia Paste Camata é filha de lavradores descendentes de italianos. Passou a infância ao lado dos nove irmãos colhendo café na propriedade da família em Venda Nova do Imigrante, interior do Espírito Santo. Ganhou esse nome por uma promessa da mãe que viu a primeira gêmea, Mônica, sair da barriga e sofreu com a segunda que não aparecia. Na dor, rezou e pediu ajuda a Santa Rita de Cássia. Devota da mesma santa, Rita vai todos os domingos à missa. Quando viu seu nome cogitado para compor a chapa do candidato José Serra, disse: “Vou ficar no meu canto, quieta, sem falar com ninguém. Que vença a vontade de Deus”. Deus quis, e Rita aceitou o convite.

Comente esta matéria
Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 148
 
ENQUETE
Milú Villela diz: "É in fazer alguma coisa pelo País, é totalmente out não fazer nada". E você? Faz algum trabalho voluntário?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
"Os homens sempre quiseram mandar nas mulheres, por isso se viram no direito de matar." declara a procuradora Luiza Nagib Eluf. O que você pensa a respeito dos crimes passionais? Dê sua opinião
 
 BUSCA

LEIA TAMBÉM
 

Dupla dinâmica
Ex-sócio de Serra fez dobradinha com Ricardo Sérgio em operações fraudulentas

Teste
Como anda a sua Inteligência Emocional?

Feras indomáveis
Marcas desconhecidas avançam sobre mitos como Porsche e Ferrari

Olho biônico
Equipe com oftaltalmo brasileiro devolve a visão a um cego implantando chip na retina

• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três