Veja também outros sites:
Home •• Revista ••• Reportagens  
Reportagens

22/04/2002

   
Arquivo Pessoal
Carlos Magno
Andréa Lopes
Anoréxica e com 39 quilos (acima), 19 a menos que o peso atual, bicampeã brasileira de surfe deixava de comer para treinar: “Surfava seis horas só com uma fruta no estômago”
Leandro Pimentel
Débora Evelyn
A atriz foi anoréxica por três anos e chegou a pesar 36 quilos: “É um problema psicológico. O problema foi desaparecendo ao desviar minha atenção para os estudos”
Leia mais:
Quando emagrecer é doença
Angelina Corrêa - “Nas crises de bulimia, me cortava como punição”
Carlos Alberto Peixoto - “Minha filha morreu de anorexia”
Dominique Puzzi - “Não tomava aspirina preocupada com as calorias”
 

Capa
Quando emagrecer é doença
Ao assumir que tem bulimia, Leka, do Big Brother, levanta a discussão sobre os distúrbios alimentares, como anorexia, que acometem principalmente as mulheres e podem até matar

Rodrigo Cardoso;
Colaboraram Luís Edmundo Araújo e Eduardo Minc

 

Leandro Pimentel

Arquivo Pessoal
Efeito sanfona: Leka engordou 20 quilos em cinco anos. Em 1998, com 78 quilos provocava vômitos ao comer demasiadamente. “Tentei de tudo para emagrecer e, sem conseguir, fiquei desesperada”

Em um ano ela perdeu 30 quilos. Quando a balança marcou 48 quilos, ela se viu anêmica e internou-se dois dias num hospital por carência de vitaminas. “Tinha dia que não conseguia levantar da cama e fui demitida por faltas”, conta a paulista Alessandra Begliomini, a Leka, do Big Brother Brasil, da Globo. Na época, aos 19 anos, ela trabalhava na área de importação e exportação de uma empresa de produtos químicos. Vivia sob um regime rigoroso permeado por crises de bulimia, um distúrbio alimentar que faz com que o doente coma compulsivamente em um curto espaço de tempo e, em seguida, tente compensar o exagero. Com medo de engordar, induz vômito, faz ginástica excessiva, usa laxantes e diuréticos.

Hoje com 27 anos, Leka estava há seis livre da bulimia. Mas ao ser escalada para o Big Brother, a tensão de estar trancada numa casa, sem ver tevê, ler jornal ou falar ao telefone, gerou uma ansiedade parecida com a do fim da adolescência. Leka teve uma recaída em rede nacional e revelou para o Brasil que sofrera de bulimia. Até sua mãe, de quem escondeu, garantiu não saber da doença. “Quando ela foi internada, nem aos médicos ela contou. E eu nem desconfiei”, conta a mãe Rose Begliomini.

Arquivo Pessoal
Leka aos 58 quilos em 1993

Leka resolveu emagrecer quando atingiu 78 quilos. Ela mede 1,70 metro de altura. Na época, vivia nos Estados Unidos num regime radical. Quando não passava a semana à base de duas torradas por dia, ingeria só líquidos. “Quem faz dieta tem risco dez vezes maior de desenvolver bulimia ou anorexia”, diz o psiquiatra Táki Cordás, coordenador do Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares (Ambulim) do Hospital das Clínicas de São Paulo. Outro dado alarmante verificado pela psicóloga Eliana Raposo Tenório Mendes, especialista na área, serve de explicação para o alerta: “Cerca de 20% dos brasileiros usam práticas inadequadas de controle de peso”.

Próxima >

 

Comente esta matéria
Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 142
 
ENQUETE
Você acha que Ronaldinho pode salvar a Seleção na Copa?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM 1
Ao assumir que tem bulimia em cadeia nacional, Leka levantou a discussão sobre os distúrbios alimentares. Você acha que esta atitude ajuda a combater a doença ou estimula a obsessão por um corpo magro? Dê sua opinião
 
 BUSCA

LEIA TAMBÉM
 

"Aqui não há recompensas"
: Lygia Fagundes Tellles diz que fez palestras para ganhar dinheiro

Oráculo Celta
Conheça a Voz da Floresta

O apetite de Bolla
O garçom que virou dono de restaurantes sofisticados

Dino cão-de-guarda e o repórter-robô
Nova geração
de seres metálicos promete aposentar seguranças e correspondentes
de guerra

• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três