Veja também outros sites:
Home •• Revista ••Diversão & Arte  
Diversão & arte - Teatro

22/04/2002

   

Godspell
Assinada por Miguel Falabella, produção de R$ 800 mil é de encher os olhos


Tatiana Engelbrecht

Divulgação
Godspell: sucesso na Broadway e talentoso elenco de jovens na versão brasileira

A montagem tupiniquim de Godspell, musical que marcou época e se tornou um cult da contracultura americana no final dos anos 60, chega aos palcos paulistanos pelas mãos de Miguel Falabella, que assina direção, tradução e produção. E que produção: foram R$ 800 mil, muito bem empregados, para deixar o público de boca aberta. A versão do espetáculo original de Stephen Schwartz apresenta encenações de parábolas famosas do Evangelho de São Mateus, como a do “Bom Samaritano” e a do “Filho Pródigo”. Com direção musical de Josimar Carneiro, o espetáculo traz 12 atores jovens e afinadíssimos, que dançam, cantam e sapateiam em números musicais contagiantes em que todos têm espaço para soltar o vozeirão. Destaque para a ex-companheira de Juninho Bill no Trem da Alegria, Amanda Acosta – o rosto mais conhecido da trupe –, que depois do longo sumiço volta aos palcos com ares de mulher feita e um desempenho surpreendente. Além da boa performance do elenco, Godspell enche os olhos com o cenário, colorido e exuberante, permeado por referências circenses, com direito até a camarins aparentes – onde os atores trocam as mais de cem peças que compõem o figurino.

No mais, o espetáculo é recheado de momentos divertidos e, ao mesmo tempo, mantém-se firme no propósito de deixar uma mensagem de solidariedade para o público – uma das preocupações de Falabella durante a concepção. Falabella é gente que faz

Teatro Jardel Filho
Av. Brigadeiro Luís Antônio, 884, Bela Vista
Tel. (11) 3105-8433 – São Paulo
Até 8/09

 

Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 142
 
ENQUETE
Você acha que Ronaldinho pode salvar a Seleção na Copa?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM 1
Ao assumir que tem bulimia em cadeia nacional, Leka levantou a discussão sobre os distúrbios alimentares. Você acha que esta atitude ajuda a combater a doença ou estimula a obsessão por um corpo magro? Dê sua opinião
 
 BUSCA

LEIA TAMBÉM
 

"Aqui não há recompensas"
: Lygia Fagundes Tellles diz que fez palestras para ganhar dinheiro

Oráculo Celta
Conheça a Voz da Floresta

O apetite de Bolla
O garçom que virou dono de restaurantes sofisticados

Dino cão-de-guarda e o repórter-robô
Nova geração
de seres metálicos promete aposentar seguranças e correspondentes
de guerra

• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três