Veja também outros sites:
Home •• Revista ••Diversão & Arte  
Diversão & arte - Cinema

22/04/2002

   
Divulgação

Guy Pearce: viagem no tempo de oito mil anos

Veja o trailer do filme
• [28Kbps]
• [56Kbps]
• [Banda larga]
 
Todos os direitos reservados É necessário ter instalado os plug-ins Windows Media Player

 

 

 

 

 

Ficção-científica
A Máquina do Tempo
Descendente de H.G. Wells dirige adaptação frustrante de clássico da literatura fantástica

Alessandro Giannini

 

Clássico da literatura de ficção científica, A Máquina do Tempo conta a história de um cientista que viaja no tempo em busca de respostas para uma tragédia pessoal. Um acidente de percurso o leva a conhecer o futuro da humanidade oito mil séculos adiante. Escrito por H.G. Wells em 1895, o livro traz nas entrelinhas dessa aventura improvável um subtexto progressista e libertário. Na recente adaptação do romance para o cinema, dirigida por Simon Wells, bisneto do autor, o subtexto desaparece para dar espaço à aventura, que surge maquiada por uma quantidade excessiva de efeitos especiais.

Guy Pearce interpreta Alexander Hartdegen, o jovem e brilhante matemático que constrói a máquina do tempo para mudar o curso da história e salvar a futura esposa de uma tragédia. Decepcionado com a impossibilidade de transformar o destino, ele decide saber o que o futuro reserva e, depois de uma sucessão de erros, vai parar no ano 800.000. O matemático encontra a humanidade dividida em duas. Na superfície, os pacíficos elois; nos subterrâneos, os violentos morlocks. Liderados por uma espécie de gênio do mal, interpretado por um risível Jeremy Irons, os morlocks se servem dos elois como presas. Seria uma metáfora sobre a crueldade do sistema de classes, que perde completamente o sentido na embalagem pirotécnica criada pelo diretor. Nesse sentido, a versão de 1960, de George Pal, dava melhor conta do recado. Furo no tempo

Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 142
 
ENQUETE
Você acha que Ronaldinho pode salvar a Seleção na Copa?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM 1
Ao assumir que tem bulimia em cadeia nacional, Leka levantou a discussão sobre os distúrbios alimentares. Você acha que esta atitude ajuda a combater a doença ou estimula a obsessão por um corpo magro? Dê sua opinião
 
 BUSCA

LEIA TAMBÉM
 

"Aqui não há recompensas"
: Lygia Fagundes Tellles diz que fez palestras para ganhar dinheiro

Oráculo Celta
Conheça a Voz da Floresta

O apetite de Bolla
O garçom que virou dono de restaurantes sofisticados

Dino cão-de-guarda e o repórter-robô
Nova geração
de seres metálicos promete aposentar seguranças e correspondentes
de guerra

• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três