08 de novembro de 1999
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca



Nise da Silveira
Morre, aos 94 anos, a mulher que mudou a psiquiatria ao usar artes plásticas em vez de eletrochoques

FOTO: Reprodução/Leo Editorial

A psiquiatra alagoana Nise Magalhães da Silveira costumava tratar os doentes mentais que atendia como "clientes" de seus serviços. "Nise acreditava que eles têm forças autocurativas", diz Franklin Chang, presidente da Casa das Palmeiras, instituição que ela fundou em 1956 para evitar que os pacientes fossem reinternados. Em sua busca por novos métodos psiquiátricos, descobriu o poder curativo da arte. "Ela não gostava de dizer que fazia terapia, mas educação através da arte", diz a amiga Zoé Chagas Freitas. A nova abordagem ajudou a revelar talentos como Arthur Bispo do Rosário e o desenhista Raphael Domingues, o que levou-a a fundar em 1952 o Museu do Inconsciente, no Rio. No sábado 30, sua vida de pesquisa e emprego de métodos mais humanos foi encerrada quando ela sofreu uma parada respiratória, no Hospital Miguel Couto, Rio de Janeiro, onde estava internada havia 40 dias. Seu corpo foi sepultado no domingo 31, no Cemitério São João Batista, Rio, com a presença de familiares, amigos e pacientes.

Greg Moore, piloto canadense de Fórmula Indy, morreu no domingo 31 ao chocar-se a 354 km/h contra um muro do circuito de Fontana, na Califórnia, aos 24 anos.
Era a última prova da temporada, que ele quase deixou de correr porque teve a mão atingida por um carro no dia anterior enquanto pilotava uma motocicleta. O piloto foi levado de helicóptero a um hospital, mas não sobreviveu à hemorragia interna e concussão cerebral. É a segunda morte que ocorre nesta temporada da Fórmula Mundial, depois que o uruguaio Gonzalo Rodriguez colidiu em 11 de setembro. Deixa os pais e a namorada.

Dorcelina Solador, prefeita de Mundo Novo (MS), morreu assassinada com seis tiros na varanda de sua casa, no sábado 30, aos 36 anos.
Ex-sem-terra e membro do Partido dos Trabalhadores, Dorcelina denunciava o crime organizado em Mato Grosso do Sul e incentivava invasões de terra na fronteira com o Paraguai. Os líderes do PT José Dirceu e Luís Inácio Lula da Silva, presentes no velório, levantaram a suspeita de crime político. O corpo de Dorcelina foi enterrado na segunda-feira 1.º, no Cemitério Municipal de Mundo Novo, com cortejo seguido por mais de 7 mil pessoas. Deixa marido e duas filhas.

Regina Braga, 57 anos, roteirista de tevê, morreu de causa não divulgada na segunda-feira 1.º, no Rio de Janeiro.
Seus trabalhos mais importantes foram a novela A Idade da Loba, da Rede Bandeirantes, e Lua Cheia de Amor, para a Rede Globo. Atualmente ela estava desempregada. O corpo de Regina foi sepultado na terça-feira 2, no Cemitério São João Batista, no Rio. Deixa dois filhos.

Paulinho Soledade, compositor, jornalista e oficial da Aeronáutica, morreu na quarta-feira 27 devido a insuficiência respiratória no Rio de Janeiro, aos 80 anos.
Ele ganhou fama ao unir-se a Vinícius de Moraes para compor canções como "São Francisco" e "O Pato". Seu maior sucesso foi a marchinha "Zum-Zum", cantada no Carnaval de 1951 por Dalva de Oliveira. Seu corpo foi sepultado na quarta-feira 27, no Cemitério São João Batista, no Rio. Deixa a mulher e dois filhos.

 

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home