Clique para ver a capa ampliada
EDIÇÃO 133
 CAPA
 ÍNDICE
 Exclusivo Online
 BATE PAPO
 GALERIA DE FOTOS
 JOGOS E TESTES
 MULTIMÍDIA
 QUIZ
 CARNAVAL
 RIO DE JANEIRO
 SALVADOR
 SÃO PAULO
 JUIZ DE FORA
 RECIFE
 SÃO LUÍS
 SEÇÕES
 ACONTECEU
 BASTIDORES
 CELEBRIDADE
 DIVERSÃO & ARTE
 ENTREVISTA
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 QUEM SOU EU?
 SERVIÇOS
 ASSINATURAS
 ASSINE NEWSLETTER
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ESPECIAIS
 EXPEDIENTE
 FALE CONOSCO
 PUBLICIDADE
 BUSCA

 

 

Rio de Janeiro

A dona da avenida
Única madrinha de bateria a levantar a arquibancada,
Luma de oliveira festeja 15 anos de Sapucaí e tem companhia do marido

André Durão
O desfile da Viradouro estava quase acabando. Todas as alas estavam na dispersão e só a bateria evoluía no final da avenida, mas nem por isso o caminho estava livre. Ignorando a norma de sair rápido para não atrasar a escola, integrantes da Viradouro se aglomeravam em frente à bateria: queriam ver de perto a evolução da modelo Luma de Oliveira, 37 anos, única madrinha de bateria a levantar as arquibancadas. Esse ano, Luma superou até um protesto dos
“Fiz 15 anos de avenida e ninguém me deu os parabéns”, reclamou Luma, que recebeu em seguida parabéns do marido

fotógrafos, que num momento do desfile puseram as máquinas no chão em apoio ao colega Wilton Junior, processado pela modelo. Num ensaio, Luma foi clicada de um ângulo que deixou à mostra sua calcinha cor da pele transparente. Na hora, Luma não viu o protesto. Sambava eufórica. Soube depois, ao ser abordada por repórteres. A eterna e polêmica madrinha foi taxativa. “Só queria que ele se retratasse.” Como em 2001, ela teve a companhia do marido Eike Batista na avenida (abaixo). “Agora virei sempre”, prometeu ele. Ao final do desfile, a modelo só tinha uma queixa. “Fiz 15 anos de avenida e ninguém me deu os parabéns”, reclamou. Eike emendou um parabéns assim que a mulher terminou a frase.

Como no ano passado, Luma foi acompanhada do marido para a avenida. “Agora virei sempre”, disse Eike Batista

 

15 anos de brilho e ousadia
Em 1989, na Tradição, onde estreou como madrinha da bateria
dois anos antes (1). Em 1990: seios à mostra provocam delírio da multidão
(2). Em 1996, na avenida no resguardo pós-parto (3). Em 1998, a polêmica
coleira com o nome do marido (4) ; Fotos: Pedro Agilson

 

 

 

<< ÍNDICE DO CARNAVAL DO RIO DE JANEIRO

 

Comente esta matéria



Búzios
Quiromancia
Horóscopo chinês
Altar Virtual
Cartomancia
Novo Tarô
Biscoito da sorte
Realejo
Bola 8
Par perfeito
I-Ching
Runas
Vidente
Numerologia
Horóscopo
 
ENQUETE
O que você pretende assistir?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
A explosão do sucesso de Giovanna Antonelli e o fato de Ricardo Medina não ser artista podem ter influenciado na separação do casal? Dê sua opinião.
 
CHAT
Nome (até 20 caracteres):
Escolha uma sala

 
 

| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL |
EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três