25 de outubro de 1999
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca

Leia também:

Televisão

Mais Você
Mochilão
Jornal Hoje


Cinema

O Sexto Sentido


Dança

Forró For All
Muito Romântico


Música

Jobim-Morelembaum
Maratona clássica
Hours...
Nádegas a Declarar
Free Jazz 99 consagra o techno
Claridade


Livros

Gente do Século - Jacqueline Kennedy
Irresistíveis pecados
A dama dos cachorrinhos e outros contos


Exposição

Nuno Ramos


Teatro

Mosaico cigano


Internet

Crônica do Dia
Galeria Photology


Livros - Conto

A Dama dos Cachorrinhos e Outros Contos
Antón Pavlovitch Tchekhov (Editora 34)

Heitor Ferraz

Foto: DIVULGAÇÃO

O escritor curitibano Dalton Trevisan costuma escrever que as pequenas delícias da vida podem ser contadas nos dedos: o azedinho da pitanga na língua, a figurinha premiada de bala Zequinha, beijo com gosto de bolacha Maria e um ou outro conto de Tchekhov, um dos maiores autores da literatura russa.

Sua paixão por Tchekhov é tanta que ele deu várias dicas ao tradutor Bóris Schnaiderman, quando este havia editado pela primeira vez suas traduções de A Dama dos Cachorrinhos e Outros Contos, que acaba de sair com nova edição revista pela Editora 34 (368 págs., R$ 29). Seguindo as recomendações, Schnaiderman pôde afinar mais ainda os 36 contos neste volume, que é um clássico da narrativa curta e da tradução de textos russos para o português.

Antón Pavlovitch Tchekhov (1860-1904), médico de profissão, revolucionou a arte mínima do conto. Ele procurava sempre os detalhes do cotidiano, trazendo para suas narrativas o mundo da província e da capital. Retratou com precisão a vida dos funcionários, das crianças, dos amantes, estudantes, médicos, enfim, gente comum, sem nenhum heroísmo. Em seu belo conto “A Dama do Cachorrinho”, Tchekhov narra a vida secreta de um homem e uma mulher, ambos casados e morando em cidades diferentes, mas atados amorosamente. É através desta vida que se esconde por detrás da cortina social que Tchekhov repassa com alta carga de poesia a vida russa do final do século passado.
A arte nos mínimos detalhes

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home