PUBLICIDADE

Headset Sem Fio Xbox: uma nova era para quem joga na caixa e fora dela

Um acessório necessário para quem joga no Xbox ou Windows 10, mas também boa opção para quem tem outros usos

5 jun 2021 15h02
ver comentários
Publicidade
Headset Sem Fio Xbox
Headset Sem Fio Xbox
Foto: Vitor Pádua/ Tecnoblog / Tecnoblog

A nova geração de consoles da Microsoft trouxe boas novidades quando estreou, em 2020. Xbox Series S e Xbox Series X aprimoraram a forma de jogar e, apesar de alguns percalços, o saldo final foi positivo. Mas ainda faltava coisa. Agora a empresa pretende se redimir com fãs que ainda aguardavam por um headset oficial, com o "Headset Sem Fio Xbox", sem nome pomposo mas com uma qualidade considerável - ainda que o preço sugerido esteja na casa dos salgados R$ 1.099,00. Compatível também com computadores Windows 10 e Mac OS, além do Xbox One, o acessório talvez seja uma boa opção para quem quer unir dois mundos. Confira o review para saber se vale a pena.

Headset Sem Fio Xbox chegou ao Brasil
Headset Sem Fio Xbox chegou ao Brasil
Foto: Felipe Vinha/Tecnoblog / Tecnoblog

Análise do Headset Sem Fio Xbox em vídeo

Aviso de Ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo. O Headset Sem Fio Xbox foi fornecido pela Microsoft por doação e não será devolvido à empresa. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design e conforto

Em seu texto de divulgação, a Microsoft diz que procurou deixar o Headset Sem Fio Xbox com design minimalista e condizente com o restante dos aparelhos da linha Xbox atual. E, bem, isso meio que acontece. O aparelho é realmente discreto e, assim como o nome, não é nada pomposo.

Suas cores lembram ainda bastante o Xbox Series X, o "console padrão atual". O corpo é todo preto e tem pequenos detalhes em verde, inclusive nos botões. O mesmo tipo de design visto na caixa dos consoles é ainda percebido por aqui, com uma aproximação mais de "apresentação". O usuário abre a caixa e já se depara com o acessório, pronto para ser usado, sem muitas firulas - mas, claro, leia o manual antes, que está logo abaixo do aparelho.

Caixa do Headset Sem Fio Xbox
Caixa do Headset Sem Fio Xbox
Foto: Felipe Vinha/Tecnoblog / Tecnoblog

Seu visual o deixa distante da concorrência, o que pode ser bom ou ruim. Ele não se parece em quase nada com o Pulse 3D, o headset oficial do PlayStation 5, por exemplo, que por sua vez tem visual mais "futuristas". Quem não conhece pode olhar e "julgar pela capa", pensando se tratar de um aparelho de qualidade menor, mas me deixe te contar que isso seria um enorme engano.

Ao que parece, a Microsoft optou pela abordagem do "menos é mais", por mais que essa estratégia tenha alguns riscos, em se tratando de visual. Ainda assim, é um aparelho elegante e que casa bastante com a proposta dos seus consoles. Afinal, quem esperava que o Xbox Series X fosse, basicamente, uma caixa retangular?

Mas passa a primeira impressão sobre o design, vamos ao que importa: ele é confortável?

O Headset Sem Fio Xbox é um dos headsets mais confortáveis que já usei nos últimos anos, mesmo para quem usa óculos - que é o maus caso. O aparelho se adapta bem a quase qualquer formato de cabeça e é tão leve que você só não esquece que está usando por conta do microfone, que é semivisível na visão periférica do usuário.

A visão, aliás, é parte importante na hora de usar um headset. Alguns são tão robustos e gigantescos que aparecem no "canto do olho" e podem distrair do que importa, seja uma partida multiplayer de Fortnite ou uma reunião importante no computador.

Por aqui o Headset Sem Fio Xbox foi bem confortável
Por aqui o Headset Sem Fio Xbox foi bem confortável
Foto: Felipe Vinha/Tecnoblog / Tecnoblog

Apesar de confortável e leve, porém, ele não parece ser o mais firme dos headsets. Justamente por ser leve, com cerca de 400 gramas, o acessório se mexe com facilidade em qualquer virada de cabeça mais brusca, seja para falar com outra pessoa ou simplesmente para olhar ao seu lado por qualquer motivo possível.

Uma coisa muito importante de ser citada é que o headset não te deixa ajustar o tamanho do arco quando ele está na sua cabeça. Há um mecanismo inteligente que trava totalmente o deslizar do arco. É necessário retirar o aparelho da cabeça para fazer o ajuste fino, caso deseje. No início estranhei bastante isso, mas no fim das contas achei uma boa solução, que impede acidentes ou ajustes indesejados e involuntários.

Já sobre o material usado na construção de seu corpo, eu só tenho elogios. Ele parece ser resistente, apesar ser daquele tipo de borracha que vai descascar com o tempo, ainda que eu só vá ter certeza disso dentro de alguns meses de uso. Porém, as almofadas das conchas auriculares são removíveis, mas não indico remover ao seu bel prazer, já que não são tão simples de se colocar de volta no lugar.

Por fim, vale destacar um detalhe quase meramente estético, mas que chama a atenção por ser bem diferente. Os indicadores R e L, ou Right e Left, ou Direita e Esquerda, estão estampados na parte interior do fone, bem grandes e na cor branca. Acho que é a primeira vez que vejo um fone usar este tipo de abordagem, nada discreta, mas bonita aos olhos.

Detalhe do Headset Sem Fio Xbox
Detalhe do Headset Sem Fio Xbox
Foto: Felipe Vinha/Tecnoblog / Tecnoblog

Controles e conectores

A primeira experiência com o Headset Sem Fio Xbox pode ser confusa, por isso eu reforço: leia sempre o manual antes de usar qualquer aparelho eletrônico. Isso por conta dos seus botões e controles, que não são muito intuitivos. O pareamento com o Xbox ou computadores com Bluetooth é tecnicamente simples, mas pode demorar mais do que o usuário imagina, o que deve causar alguma confusão. Ah e o Bluetooth aqui é 4.2 de baixa latência.

No PC, o procedimento é o padrão. Ativou o Bluetooth do computador e pareou, sem grandes mistérios e sem muita demora. Depois de conectado, o acessório se comporta bem nos dois casos e a conexão é mantida com boa qualidade.

Já os controles são bem práticos. Um simples botão, não muito bem localizado, pode mutar ou desmutar o aparelho. O microfone também "se muta" sozinho quando não detecta sua voz, mas isso pode ser modificado nas configurações, quando ele é ligado a um console, por exemplo. Nos lados de cada "orelha", o headset tem controles no formato da peça inteira: no direito controla o volume e no esquerdo o balanço de som entre game e voz.

Os controles robustos e grandes, girando a orelha inteira, são práticos e não deixam espaço para falhas ou acidentes, como apertar qualquer outro botão sem querer ou no mínimo não conseguir reduzir e aumentar o volume rapidamente. O lado que contém o controle de balanço entre jogo e voz apresenta ainda um leve "clique", pra demonstrar quando está perfeitamente equilibrado entre as duas fontes de som.

Controle lateral do Headset Sem Fio Xbox
Controle lateral do Headset Sem Fio Xbox
Foto: Felipe Vinha/Tecnoblog / Tecnoblog

O aparelho acompanha também um cabo USB-C na caixa, mas apenas para recarga. Não é possível usá-lo com conexões via cabo, como P1 ou P2, nem mesmo qualquer tipo USB. É uma falta de opção, infelizmente, ainda que a Microsoft deixe claro aqui que a qualidade da conexão Bluetooth seja o foco, para fornecer um feedback sem falhas ao jogador - e parece que é isso mesmo que acontece, já que não notei nenhum tipo de atraso.

Ah, em termos de conexões, além de PC e Xbox, surpreendentemente o headset funciona também em celulares, mas não em outros consoles fora da linha Xbox, mas a culpa não é da Microsoft. PS4 e PS5 até reconhecem o Headset Sem Fio Xbox, mas não conectam pois não aceitam headset Bluetooth nativo, apenas com "dongle". Já o Nintendo Switch sequer tem a opção de conexão Bluetooth para acessórios de som, seja qual for.

E eu quero destacar muitíssimo aqui que o dongle simplesmente não existe neste headset, caso eu ainda não tenha deixado claro.

Bateria e alcance

O Headset Sem Fio Xbox se dá bem em questão de bateria. Dá para jogar alguns dias sem sofrer com descarregamento inusitado durante uma partida. Ele informa, por meios visuais, quando a bateria está baixa, na tela, quando é necessário dar uma carga completa, ou por alguns minutos se tiver pressa.

O problema é que ele exige algum tempo de recarga, cerca de três ou quatro horas para ficar totalmente 100%. Em compensação, isso vai garantir mais de 15 horas de jogo, ou de trabalho ou de qualquer outra atividade no computador e console, sem interrupções.

Headset Sem Fio Xbox tem bateria duradoura
Headset Sem Fio Xbox tem bateria duradoura
Foto: Felipe Vinha/Tecnoblog / Tecnoblog

A Microsoft informa que a bateria pode durar menos ou mais tempo, dependendo de como usa-se o acessório. O Headset Sem Fio Xbox pode ficar carregado por menos horas se, por exemplo, a distância entre o fone e o aparelho pareado for muito longe, se o volume estiver sempre no máximo, se usar voz constante, entre outras possibilidades.

Ainda assim, não há diferença tão gritante e, no geral, o Headset Sem Fio Xbox se sai bem no quesito bateria.

E já que falei sobre alcance: o aparelho também não faz feio neste sentido. Costumo jogar no sofá da sala, de frente para o console, em uma posição reta e com distância de cerca de dois metros entre videogame e minha posição. Não tive interrupções ou falhas ao ir na cozinha, por exemplo, pegar um copo d'água. A primeira grande interrupção aconteceu quando precisei visitar minha área de serviço, dois cômodos de distância, para qualquer motivo. Mas isso não chegou a interromper por completo.

Som e microfone

O microfone não me deixou muito feliz, confesso, mas apenas pelo fato de que eu não sou um grande fã de headsets com microfone externo, prefiro os embutidos. Quem não se importar com isso ou se preferir desta forma, o Headset Sem Fio Xbox não vai apresentar algo negativo neste ponto.

A captação, porém, funciona muitíssimo bem!

O headset inclui tecnologias de ponta em suas entranhas, entre elas Windows Sonic, Dolby Atmos e DTS Headphone, que fornecem captação e reprodução de som de primeira qualidade. Pode parecer que estou falando apenas alguns nomes difíceis em inglês, mas este tipo de produção faz toda a diferença. O Dolby Atmos, por exemplo, é muito conhecido de quem costuma, ou costumava, frequentar algumas salas de cinema que usam som espacial, que muda conforme a posição de determinada cena.

Headset Sem Fio Xbox apresenta um bom microfone, apesar de externo
Headset Sem Fio Xbox apresenta um bom microfone, apesar de externo
Foto: Felipe Vinha/Tecnoblog / Tecnoblog

Já o Windows Sonic é formato proprietário da Microsoft, que funciona tanto no Windows 10, quanto no Xbox, como emulador de som surround para melhor som ambiente ao redor do ouvido do jogador. As tecnologias combinadas se traduzem em algumas das melhores reproduções que já pude ouvir com headset no Xbox, por exemplo.

Alguns jogos testados foram Forza Horizon 4, Gears 5, Fortnite, Yakuza: Like a Dragon, Spirifarer, Star Wars Squadrons e Fuser. Em alguns deles, o headset foi fundamental, como em Fortnite, para ouvir passos de oponentes que se aproximavam de mim.

Como aumentar e reduzir volume é fácil e prático, o usuário não vai ter dor de cabeça se o som de um jogo estiver mais baixo ou mais alto. Além disso, o menu do Xbox ao menos te dá uma infinidade de possibilidade de configurações extras, como tons mais graves, mais agudos e outras formas de captação para voz. O headset casa muito bem com o console e seus jogos.

Headset Sem Fio Xbox: vale a pena?

O Headset Sem Fio Xbox já está disponível para ser comprado na Amazon e logo chega em outras lojas brasileiras. Como citei, seu preço sugerido é de R$ 1.099,00 e este não é um investimento tão baixo, em especial quando você tem opções mais baratas no mercado.

Mas é bom lembrar que o objetivo da Microsoft aqui não é engajar apenas gamers ou vender um headset para games. Em tese, ele é voltado para qualquer função que seja compatível, incluindo uma call no Zoom, ouvir música no celular ou até mesmo para quem trabalha com som no computador, editando um podcast, por exemplo.

Quando comparado a um Astro A20, por exemplo, que falamos por aqui, ele é mais barato. O Sennheiser Momentum 3, outro headset que avaliamos, está na faixa dos R$ 3 mil. Razer e HyperX, outras marcas famosas por acessórios de fones e headset, possuem opções mais econômicas, mas também há aquelas premium, que ultrapassam a casa dos R$ 1 mil. Já o Pulse 3D, do PS5, é vendido pela Sony por R$ 599, uma "bagatela", se comparado ao da Microsoft, ainda que tenha alguns problemas que apontamos no review.

Headset Sem Fio Xbox: tá valendo?
Headset Sem Fio Xbox: tá valendo?
Foto: Felipe Vinha/Tecnoblog / Tecnoblog

Em resumo, não é um aparelho barato, mas quem vai comprar pode estar um pouco acostumado ou acostumada a gastar esta quantidade de dinheiro em headset de grande qualidade, mesmo para quem não joga e precisa de um aparelho digno de qualidade para seu trabalho. Se você busca algo "de entrada", que seja mais econômico, talvez tenha opções mais indicadas no mercado.

Mas, particularmente, se eu tivesse que investir, guardaria um pouco mais de dinheiro e compraria o Headset Sem Fio Xbox, em vez do Pulse 3D ou qualquer outro na mesma faixa de preço, por exemplo, ainda que os dois sejam de aparelhos diferentes. O motivo é simples: o acessório do Xbox foi bem mais confortável e de usabilidade facilitada, em especial pela ausência de dongle.

Headset Sem Fio Xbox: especificações técnicas

Especificações Headset Sem Fio Xbox
Compatível com Xbox One, Xbox Series X, Xbox Series S, Windows 10, Mac, Android e iOS
Peso (sem caixa) Menos de 400 gramas (aproximado)
Bluetooth 4.2
Impedância nominal 32 ohm
Conexão Porta USB-C para recarga
Resposta de frequência 20Hz - 20kHz
Duração de bateria Mais de 15 horas
Alcance sem fio Mais de 15 metros
Frequência sem fio 2,4 GHz

Headset Sem Fio Xbox: uma nova era para quem joga na caixa e fora dela

Tecnoblog
Publicidade
Publicidade