1 evento ao vivo

Zé Roberto lamenta baixa de Natália e valoriza vice na Liga das Nações

'Nós passamos por muitas dificuldades e conseguimos a classificação para final', exalta o técnico brasileiro

7 jul 2019
16h26
  • separator
  • 0
  • comentários

O técnico José Roberto Guimarães valorizou o vice-campeonato da seleção feminina de vôlei na Liga das Nações, após a dura virada sofrida para os Estados Unidos na final. Em Nanquim, na China, as brasileiras abriram 2 sets a 0, mas acabaram batidas por 3 a 2, com parciais de 20/25, 22/25, 25/15, 25/21 e 15/13.

"Foi importante chegarmos nessa final. A nossa trajetória na Liga das Nações foi positiva. Nós passamos por muitas dificuldades e conseguimos a classificação para final. Preciso enaltecer as jogadoras pela luta, garra e dedicação. Tenho muito orgulho desse grupo. Elas se comportaram muito bem e lutaram durante todo o campeonato", elogiou o treinador.

Apesar da prata, Zé Roberto elogia trajetória do Brasil na Liga das Nações.
Apesar da prata, Zé Roberto elogia trajetória do Brasil na Liga das Nações.
Foto: Divulgação/CBV / Estadão

Zé Roberto admitiu que a baixa da ponteira Natália fez a diferença ao longo da final. A experiente jogadora sentiu dores na perna esquerda e deixou a partida ao fim do segundo set. Sem ela, a seleção perdeu outra importante opção no ataque e acabou sobrecarregando Gabi, que logo passou a sofrer forte marcação do bloqueio norte-americano. A partir daí, os EUA assumiram o controle da partida e buscaram a virada.

"Foi uma pena termos perdido a Natália no final do segundo set. Ela estava bem e voltando a sua melhor forma. Os Estados Unidos foram melhores nos últimos sets e mereceram a vitória", comentou o treinador, que valorizou o esforço das jogadoras mais jovens.

A nova geração foi uma das marcas da seleção nesta Liga das Nações em razão dos seguidos desfalques por lesão e também por pedidos de dispensa. "Fico feliz pelas jogadoras jovens que se apresentaram bem. Vamos seguir lutando e trabalhando para os próximos desafios", projetou Zé Roberto.

Um dos destaques do Brasil na competição, Gabi também saiu de quadra satisfeita com a campanha brasileira. "Saímos da Liga das Nações com o segundo lugar. Foi um jogo muito difícil contra os Estados Unidos. Mesmo com derrota na final, fico feliz com o que o nosso time mostrou durante toda a competição. Foi muita superação e resiliência. Estou triste pela derrota, mas orgulhosa da equipe. Foi uma pena a lesão da Natália. Saímos de cabeça erguida e vamos com tudo para o Pré-Olímpico", comentou a jogadora que foi a maior pontuadora da equipe na final, ao lado da oposta Lorenne, com 20 pontos. A maior pontuadora do jogo foi a norte-americana Andrea Drews, com 33 pontos.

Gabi foi eleita a melhor ponteira do campeonato. E não esteve sozinha na seleção do torneio. A central Bia e a levantadora Macris também entraram na equipe ideal da Liga das Nações. "A trajetória na Liga das Nações fez esse grupo crescer muito. Foi uma experiência importante. Tive a oportunidade de enfrentar as melhores seleções do mundo. Acredito que aprendi bastante nessa competição. Passamos por inúmeras dificuldades e nos superamos", disse Macris.

O terceiro lugar da Liga das Nações ficou com a China, anfitriã da fase final. As locais derrotaram a Turquia por 3 sets a 1, com parciais de 25/23, 25/15, 20/25 e 25/21.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade