0

Ícones do vôlei lamentam a perda de Bebeto de Freitas

13 mar 2018
17h40
  • separator
  • comentários

Logo após o anúncio oficial do falecimento de Bebeto de Freitas, vice-campeão olímpico com a Seleção Brasileira de vôlei e diretor de administração e controle do Atlético-MG, diversas homenagens e manifestações começaram a surgir rapidamente nas redes sociais e nos programas de televisão. Dentre as pessoas que se manifestaram após a morte de Bebeto, diversos ícones importantes do voleibol brasileiro.

Nalbert, campeão olímpico e mundial com a Seleção Brasileira, fez uma das declarações mais emocionadas em entrevista ao SporTV.

"Bebeto para mim é um ídolo, comecei a jogar vôlei por causa dele…Eu lembro do Bebeto como combatente, como lutador pelo nosso esporte. Ele era uma das poucas vozes que combatia, que falava sobre esses problemas que nós tivemos com comitê olímpico brasileiro, enfim, na confederação de vôlei…E ele era um dos caras que cobrava todo mundo. Graças a essas vozes, e a voz dele foi muito importante, hoje os atletas se unem mais, e há grandes mudanças no esporte brasileiro", disse.

Além disso, Nalbert fez questão de exaltar a importância de Bebeto não só para o voleibol, mas para todo o esporte brasileiro.

"A imagem que eu fico, que eu tenho do Bebeto, além de um precursor do voleibol, um gênio no voleibol, é a de um apaixonado, um abnegado pelo esporte, um cara que lutou até o último dia pela grande paixão da vida dele que não era só o voleibol, era o esporte. Então fica essa marca porque ele é um dos grandes nomes da história do esporte brasileiro…que todo mundo saiba disso", ressaltou.

Para finalizar, o ex-jogador ainda deixou um recado para os admiradores do esporte que são mais jovens.

"Aqueles jovens, que hoje não têm tanto conhecimento assim, estudem! Pesquisem, vejam quem foi Bebeto de Freitas…Ele é realmente uma daquelas figuras únicas no nosso esporte", completou.

Carlão, campeão olímpico em 1992, ressaltou o tamanho da perda do ex-treinador.

"Bebeto tem uma trajetória inquestionável no vôlei mundial. Ele foi meu técnico durante nove anos, na seleção e na Itália. Foi meu técnico, técnico do Renano. Ele mudou a minha maneira de jogar, me tirando de central e me transformando em oposto e ponteiro passador. Ele mudou a maneira de muitos jogadores no mundo todo. É uma perda inestimável", afirmou.

Renan Dal Zotto, atual técnico da Seleção Brasileira de vôlei, também falou sobre a perda.

"É das pessoas mais importantes da minha vida no vôlei. Como pessoa, como técnico, como jogador. Sempre foi uma referência", disse.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade