0

Bruninho lamenta espírito do Brasil e diz: "Precisamos nos reinventar"

14 jul 2019
20h14
atualizado às 20h14
  • separator
  • 0
  • comentários

A Seleção Brasileira terminou a Liga das Nações 2019 na quarta posição. O Brasil enfrentou a Polônia neste domingo, em Chicago, nos Estados Unidos, onde aconteceu a Fase Final da competição, mas acabou superado por 3 sets a 0 (17/25, 23/25 e 21/25), em atuação apática.

A equipe verde e amarela fez ótima campanha na fase classificatória, terminando em primeiro após 14 vitórias e apenas uma derrota. Já nos Estados Unidos, acabou superada no primeiro jogo, justamente pelos poloneses, por 3 a 2; venceu o Irã, novamente por 3 sets a 2, e na semifinal, perdeu para os donos da casa em mais um jogo de tie-break.

Neste domingo, o oposto Alan foi o jogador que mais pontuou para a Seleção, com o total de oito acertos. Pelo lado da Polônia, destaque para o atacante Bednorz, maior pontuador do confronto, com 21 pontos.

O levantador Bruninho lamentou o resultado negativo e fez uma análise da participação do Brasil na Liga das Nações sem poupar palavras, projetando mudanças para o futuro. "Hoje não tivemos uma boa atuação. O nosso espírito não foi correto para disputar uma final de terceiro lugar. Queríamos estar na decisão do ouro, mas tínhamos que ter tido uma outra atitude na partida de hoje", afirmou.

"Não podemos deixar isso acontecer no futuro. Teremos que crescer muito tecnicamente. Deu para ver nessa Liga das Nações que o nível das seleções está muito alto e precisamos nos reinventar no futuro. Vamos treinar muito para ganharmos confiança para a disputa do Pré-Olímpico", completou.

O central Lucão comentou sobre o momento atual do grupo brasileiro e destacou o foco no Pré-Olímpico. "Temos um grupo em formação. É uma experiência nova para a Seleção brasileira jogar com dois ponteiros de força. Sempre tivemos um ponteiro mais técnico dentro de quadra e a Seleção brasileira está se acostumando a isso. Talvez teremos mais dificuldades no passe, mas vamos ganhar muito no ataque", disse.

"Fizemos uma boa primeira fase e agora o foco é no Pré-Olímpico. Foram sete semanas que rodamos o mundo e foi uma pena não conseguimos jogar o nosso melhor na disputa do terceiro lugar. A Seleção brasileira nunca foi a melhor tecnicamente, mas a força do grupo e do trabalho sempre fizeram a diferença e vamos trabalhar muito para esse Pré-Olímpico", finalizou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade