PUBLICIDADE
Logo do

Vasco

Favoritar Time

Vereadores acionam Ministério Público para investigar consórcio no veto ao jogo entre Vasco e Sport

Tarcísio Motta (PSOL) e Alexandre Isquierdo (União) entraram com a representação e discordaram dos argumentos de preservação do gramado do Consórcio Maracanã

27 jun 2022 - 17h07
Ver comentários
Publicidade

Os vereadores Tarcísio Motta (PSOL) e Alexandre Isquierdo (União) entraram com uma representação junto ao Ministério Público do Rio de Janeiro. Ambos pedem para que seja aberto um inquérito civil para apurar o veto do Consórcio Maracanã ao jogo entre Vasco e Sport. A informação foi inicialmente divulgada pelo colunista Ancelmo Gois, e confirmada pelo Lance!

Vasco tenta levar o jogo contra o Sport ao Maracanã, no próximo dia 3 de julho (Foto: Daniel RAMALHO / CRVG)
Vasco tenta levar o jogo contra o Sport ao Maracanã, no próximo dia 3 de julho (Foto: Daniel RAMALHO / CRVG)
Foto: Lance!

Vale relembrar que o Consórcio vetou a realização da partida entre Vasco e Sport, marcada para o dia 3 de julho, no estádio. A alegação foi que o palco poderá ter dez jogos no mês, o que pode afetar o estado do gramado.

Na argumentação, eles utilizaram um documento da Greenleaf, empresa responsável pela manutenção do gramado. De acordo com o documento, o ideal é que haja um jogo por semana e revela que já existe uma partida programa para o dia anterior: Fluminense e Corinthians.

No entanto, segundo o documento apresentado pelos vereadores, a cláusula 2ª do termo assinado pela dupla Fla-Flu junto ao governo do estado cita que "a permissionária deverá possibilitar a utilização em condições de igualdade pelos demais clubes de futebol profissional".

No documento, os vereadores reiteraram os argumentos do Vasco, que entrou com uma ação na 51ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Ambos relembraram que em vários momentos da história do estádio, já foram realizadas duas partidas com menos de 24 horas intervalo.

- Tendo em vista tratar-se aqui de uma permissão de uso e de um bem público, deve prevalecer o interesse público, e o regime jurídico próprio dos bens públicos, não havendo espaço para qualquer contrariedade às obrigações do Termo de Permissão, para tratamentos discriminatórios ou para a violação dos princípios constitucionais da supremacia do interesse público e da impessoalidade com fins de privilegiar interesses privados ou satisfazer rivalidades clubísticas - diz o pedido dos vereadores.

O vereador Tarcísio Motta (PSOL) também utilizou suas redes sociais para opinar sobre o caso. Segundo a visão do político, o Maracanã é público, e o Consórcio não pode contrariar interesses

- O Maracanã é público! Foi construído e reformado (várias vezes) com R$ público! Sua concessão não pode contrariar os interesses do conjunto dos cidadãos. A negativa do consórcio é sem fundamento, absurda e NOS FEZ ACIONAR O MP. O Maraca é de todas as torcidas - publicou Tarcísio.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro, mais especificamente, a Casa Civil enviou ofício para Flamengo e Fluminense. No documento, o órgão vê infração da dupla na negativa ao Cruz-Maltino, que pretende realizar o jogo contra o Sport no estádio concedido pelo governo.

Lance!
Publicidade
Publicidade