PUBLICIDADE
Logo do

Vasco

Meu time

Vasco encaminha pagamento de dívidas de ex-funcionários, que estavam em aberto desde 1968

Débitos se arrastavam e dificultavam a negociação do Cruz-Maltino com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), que prevê redução de mais de 50% das dívidas fiscais

25 out 2021 20h04
| atualizado às 20h28
ver comentários
Publicidade

O Vasco encaminhou, nesta segunda-feira, o pagamento de R$ 5 milhões em FGTS atrasado (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de 750 ex-funcionários. Com isso, o clube carioca deu um passo importante na redução da dívida fiscal com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN). A informação foi publicada primeiramente pelo "Ge" e confirmada pelo LANCE!

Direção do Vasco negocia com a PGFN um acordo semelhante ao do Cruzeiro (Foto: João Pedro Isidro/Vasco)
Direção do Vasco negocia com a PGFN um acordo semelhante ao do Cruzeiro (Foto: João Pedro Isidro/Vasco)
Foto: Lance!

Cabe salientar que alguns débitos inseridos na dívida ativa se arrastavam desde 1968, algo que dificultava a negociação com a PGFN. Com o pagamento, o Cruz-Maltino melhora suas condições nas conversas com o Governo pela redução da dívida fiscal.

Essa negociação acontece desde o início da gestão do presidente Jorge Salgado, mas ainda não foi selada. Segundo o portal "Jogada10", a tendência é que o acordo com a PGFN seja assinado até a próxima semana.

A negociação é semelhante ao acordo do Cruzeiro, selado em 2020. Na época, o clube mineiro reduziu a dívida com a União de R$ 334 milhões para R$ 178 milhões. Esses valores eram referentes aos débitos tributários e fiscais. O Vasco, por sua vez, tenta a redução de 50% da dívida fiscal, que é de cerca de R$ 300 milhões.

Na última sexta, o Gigante da Colina apresentou à Justiça um plano de pagamento de R$ 93,5 milhões, à Comissão de Credores. O clube seguiu a recente lei clube-empresa e caso esse plano seja aprovado terá que quitar as dívidas cível e trabalhistas no prazo de seis anos, utilizando até 20% da receita mensal, como está previsto na lei.

O Vasco conseguiu na Justiça o direito e teve reconhecido o direito ao Regime Centralizado de Execuções (RCE), algo também previsto na nova lei que instituiu o clube-empresa no Brasil. Dessa forma, o Cruz-Maltino apresentou o plano dentro do prazo estabelecido e agora aguarda a análise da Justiça para iniciar o pagamento.

Em meio à essas questões jurídicas, o Vasco ocupa a sexta colocação da Série B do Campeonato Brasileiro com 47 pontos. A equipe volta a campo na sexta-feira, as 21h30, diante do CSA, em São Januário, pela 32ª rodada da competição nacional.

Lance!
Publicidade
Publicidade