PUBLICIDADE
Logo do

Vasco

Favoritar Time

Inspirado em Juninho e amigo de Paulinho, Vitinho diz poder fazer diferentes funções no Vasco: 'Versátil'

Novo camisa 8 do Cruz-Maltino poderá atuar como ponta ou segundo volante. Com boas referências do clube há tempos, ele quer fazer história em São Januário

17 jan 2022 16h32
| atualizado às 16h32
ver comentários
Publicidade

Aos 22 anos, Vitinho chegou ao Vasco emprestado pelo Corinthians. Na equipe paulista, o meio-campista disputou 29 jogos no ano passado - o primeiro dele como profissional. No Cruz-Maltino ele espera se consolidar e, para isso, não escolhe posição: seja como ponta ou segundo volante, ele quer é estar em campo.

Vitinho foi apresentado no Vasco pelo gerente de futebol, Carlos Brazil (Foto: Reprodução / VascoTV)
Vitinho foi apresentado no Vasco pelo gerente de futebol, Carlos Brazil (Foto: Reprodução / VascoTV)
Foto: Lance!

- Prefiro jogar, não importa a posição. Nasci e fui criado para jogar futebol, então não importa a posição. Onde me colocar eu vou representar muito bem a camisa do Vasco. Sou um cara versátil, que joga em qualquer posição. Então não é problema se for aberto ou por dentro, vindo de atrás. Vim aqui para ajudar o Vasco. Fiz um gol no rival do Vasco. Se aparecer oportunidade, eu vou fazer. Assim como nos outros clássicos ou qualquer tipo de jogo - garantiu, em sua apresentação oficial, nesta segunda-feira, no CT Moacyr Barbosa.

O gol citado por Vitinho foi contra o Flamengo. Foi o único dele como profissional até aqui. Ele recebeu a camisa 8 e diz querer honrar a história que Juninho fez com ela.

- Quando eu recebi o convite, sem pensar já aceitei. Vim para ajudar o Vasco. Gosto do número 8 e, por coincidência, com ela o Juninho fez história. Pretendo representar um pouco a história dele - projetou.

O meio-campista é nascido em Guarulhos (SP), mas tem informações do Vasco há tempos. Ele é amigo de Paulinho, atacante revelado no Cruz-Maltino e que, atualmente, defende o Bayer Leverkusen.

- Desde a época da Seleção de Base, em que eu convivi com ele, que ele me falava muito bem do time, da estrutura, da torcida. Não teve vínculo nenhum a conversa com ele para a minha vinda. Falei com ele logo depois que assinei. Brinquei com ele que quero fazer um pouco do que ele fez para conquistar a torcida e seguir firme aqui no Vasco - relatou.

Lance!
Publicidade
Publicidade