PUBLICIDADE
Logo do

Vasco

Meu time

Duelo entre Náutico e Vasco nos Aflitos está sob risco; entenda as razões do impasse!

CBF encaminhou ofício exigindo que o Governo de Pernambuco garanta policiamento em campo. Federação entra com mandado no Tribunal de Justiça para garantir o jogo

22 out 2021 10h46
| atualizado às 10h50
ver comentários
Publicidade

O confronto entre Náutico e Vasco, previsto para o domingo (24), pela 31ª rodada da Série B, foi precedido por um impasse. Na última quinta-feira (21), a CBF enviou um ofício à Federação Pernambucana de Futebol (FPF) na qual ameaçou retirar todas as partidas do estado caso o Governo do Estado não garanta a presença da Polícia Militar em campo.

Falta de policiamento em campo em jogos em Pernambuco pode tirar o jogo do Vasco dos Aflitos (Foto: Léo Lemos/CNC)
Falta de policiamento em campo em jogos em Pernambuco pode tirar o jogo do Vasco dos Aflitos (Foto: Léo Lemos/CNC)
Foto: Lance!

A decisão acontece dias após torcedores do Santa Cruz invadirem o campo da Arena Pernambuco e perseguiram jogadores na partida na qual a equipe foi eliminada pelo Floresta na Copa do Nordeste. A informação foi divulgada originalmente pelo "GE" e confirmada pelo LANCE!.

Ao L!, o mandatário da Federação Pernambucana, Evandro Carvalho, falou que entrará com um mandado de segurança no Tribunal de Justiça de Pernambuco para garantir a realização da partida.

- Vamos ingressar com essa exigência de segurança porque aqui em Pernambuco a Secretaria de Defesa Social teve uma interpretação diferente de todos os outros 26 estados do Brasil. Pernambuco é o único estado no qual o policiamento não está dentro de campo. Dias atrás, houve uma invasão na partida na Arena Pernambuco, agrediram jogadores, quebraram portas. Queremos que a Polícia fique dentro de campo, e não esperar que ela se desloque para o gramado - declarou.

Atualmente, o policiamento fica na sala de monitoramento ou na arquibancada a cada partida.

Perguntado sobre a chance da partida entre Náutico e Vasco ser adiada, o dirigente afirmou.

- Existe essa possibilidade, mas esperamos que isso não ocorra - garantiu.

Na quinta-feira passada, o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Humberto Freire de Barros, enviou um ofício à CBF assegurando policiamento no estádio. Contudo, observou que o artigo 14 do Estatuto do Torcedor diz que a segurança dos eventos é de responsabilidade "da entidade da prática desportiva detentora do mando do jogo e de seus dirigentes" e que a primeira ação em caso de invasão de campo fica a cargo de seguranças privados e só depois, caso necessário, a resposta passa a ser da segurança pública.

Em relação ao jogo entre Santa Cruz a Floresta, a SDS-PE afirmou que foram designados 128 policiais militares. O órgão disse que 80 atuaram na área externa e 48 na área interna da Arena de Pernambuco.

Lance!
Publicidade
Publicidade