0

Dirigente do Vasco prevê venda de mais um jogador

10 jul 2020
17h29
atualizado às 17h29
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Com muitos problemas financeiros, o Vasco vem buscando formas para diminuir a dívida com o elenco. Durante a paralisação do futebol pela pandemia de coronavírus, os cruzmaltinos negociaram o atacante Marrony e utilizaram o dinheiro para pagar salários dos atletas e funcionários.

No entanto, o vice-presidente de finanças, Carlos Leão, admitiu que o Vasco vai precisar negociar mais um atleta para conseguir fechar o ano sem dívidas. O lado positivo que o dirigente destacou que a venda não precisa ser do atacante Talles Magno.

"A gente está trabalhando para colocar todos os salários em dia. Eu sou muito criticado por isso que vou dizer e eu entendo as críticas, mas hoje precisamos vender mais um ativo além do Marrony. Não precisa ser necessariamente o Talles. Temos outros bons valores do clube. O Lucas Santos já mostrou ter muito potencial, é um ótimo jogador. Tiago Reis é outro grande valor da nossa base. O Pikachu também despertou o interesse em alguns clubes. Tem Vinícius, Andrey. Então podemos negociar e acertar os salários. Não está descartada a venda de um ativo. No entanto, não chegaram propostas que sejam interessantes", disse ao Esporte News Mundo.

(Foto: Divulgação/Rafael Ribeiro)
(Foto: Divulgação/Rafael Ribeiro)
Foto: Gazeta Esportiva

Carlos Leão revelou que o Vasco pode ter um alívio financeiro nos próximos meses, com a retomada do futebol no Brasil. Além disso, o dirigente crê que o clube possa quitar mais um mês de salários nos próximos dias.

"Temos o dinheiro das cotas de TV, que por conta da pandemia, atrasou o pagamento para agosto. Teve ainda a interrupção do Ato Trabalhista, que foi prorrogado por mais um mês. Isso gerou um fôlego de mais R$ 2 milhões para a gente. Com essa composição, poderemos acertar mais um mês", declarou.

O dirigente cruzmaltino ainda lembrou que o Vasco pode se favorecer do mecanismo de solidariedade da FIFA. Caso alguns jogadores da base sejam negociados pelo atuais clubes, os cariocas ficam com uma parte do valor.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade