0

Thiago Wild é superado na estreia do qualifying de Roland Garros

Brasileiro perde para o equatoriano Emilio Gomez por 2 sets a 0, com as parciais de 6/3 e 6/2 e dá adeus ao torneio francês

21 set 2020
09h44
atualizado às 10h41
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Depois de um bom desempenho com o vice no Challenger de Aix-en-Provence, na França, há pouco mais de uma semana, o tenista brasileiro Thiago Wild não se deu bem na estreia no qualifying de Roland Garros, Grand Slam em Paris que começará no próximo domingo. Nesta segunda-feira, o cabeça de chave número 1 do qualificatório foi derrotado pelo equatoriano Emilio Gomez por 2 sets a 0, com as parciais de 6/3 e 6/2.

Atual 106.º colocado no ranking da ATP e número 2 do Brasil - somente atrás do cearense Thiago Monteiro -, Wild, que é tenista do Instituto Tennis Route, se preparava há uma semana em Paris para tentar entrar na chave principal do Grand Slam pela primeira vez na carreira. Mas não conseguiu.

Emilio Gomez, número 154 do mundo, é filho do ex-tenista Andrés Gomez, campeão de Roland Garros em 1990. Na segunda rodada do qualifying, o equatoriano terá pela frente o eslovaco Filip Horansky, que eliminou o romeno Marius Copil por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/1.

O outro brasileiro inscrito no qualifying de Roland Garros é João Menezes, atual número 195 da ATP. O tenista mineiro, que tem vaga garantida nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2021, vai enfrentar o egípcio Mohamed Safwat (140.º do ranking) nesta terça-feira, ainda sem horário definido, também pela primeira rodada.

CORONAVÍRUS

O qualifying em Roland Garros começou nesta segunda marcado pela sombra da covid-19. De acordo com a Federação Francesa de Tênis (FFT, na sigla em francês), organizadora do Grand Slam, cinco tenistas inscritos no qualificatório, sem ter seus nomes revelados, tiveram de desistir do torneio seguindo o protocolo sanitário estabelecido para a competição. Dois deles testaram positivo para o novo coronavírus e os outros três tiveram contato próximo com um treinador, também diagnosticado com a doença.

De acordo com o protocolo da FFT, esses cinco jogadores precisam ficar isolados por sete dias. A entidade ainda explicou que foram conduzidos 900 exames para a detecção da covid-19 desde a última quinta-feira.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade