1 evento ao vivo

Entenda porque Federer será o cabeça-de-chave n°1 em Wimbledon

12 jun 2018
09h03
atualizado às 10h21
  • separator
  • comentários

Um dos torneios mais importantes e o mais antigo de tênis do mundo, Wimbledon já sabe quem será o cabeça-de-chave do torneio nesta edição de 2018 e, curiosamente, não é Rafael Nadal, atual líder do ranking da ATP. Independente do que aconteça nos próximos torneios preparatórios, Roger Federer estará no topo da lista dos tenistas que participarão, por causa do chamado 'ranking da grama'.

Enquanto que um torneio de nível ATP já lista seus cabeças-de-chave no momento da inscrição, 42 dias antes do primeiro dia do evento, Wimbledon segue essa regra porém, acrescenta à pontuação das últimas 52 semanas, todos os pontos somados pelo atleta na grama nos 12 meses anteriores, além de mais 75% do melhor resultado que o tenista obteve nesta superfície nos 24 meses anteriores.

Com isso, não terá como Nadal estar com uma pontuação melhor que a de Federer, deixando o suíço como cabeça-de-chave número 1 do torneio. Neste momento, o maior campeão de Grand Slams da história tem 10.710 pontos e mesmo que vá muito abaixo das expectativas nos torneios anteriores a Wimbledon, não será ultrapassado por Nadal que não conseguirá chegar a 9.500 mesmo conquistando mais de um título.

O torneio de Wimbledon é marcado há muito tempo pelas suas próprias regras e costumes. A organização do terceiro Grand Slam da temporada não permite que nenhum atleta, seja no masculino como no feminino, vista qualquer roupa ou acessório que não seja da cor branca. Até mesmo Federer já desagradou e foi advertido pelos funcionários do All England Club ao usar um tênis em que a sola era laranja na sua estreia na edição de 2013.

Em Londres, Federer tentará manter a distância de Nadal como o maior campeão da história de Grand Slams. Com o título em Roland Garros, o espanhol chegou a 17 torneios deste nivel, enquanto que Roger tem três a mais. Até 2009, o líder nesse quesito era o americano Pete Sampras, que tinha 14, e foi ultrapassado pelo suíço após o histórico título de Wimbledon diante de Andy Roddick.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade