0

Djokovic diz ter pedido para ficar em Melbourne após polêmica: 'Mal interpretado'

Sérvio se explica sobre mal entendido gerado sobre quarentena obrigatória para o Aberto da Austrália

20 jan 2021
15h19
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O mundo do tênis está vivendo uma situação incomum nos últimos dias com a obrigatoriedade de se fazer uma quarentena de 14 dias para a disputa do Aberto da Austrália, que começará em 8 de fevereiro. De acordo com um protocolo feito pelas autoridades sanitárias australianas, os tenistas têm que cumprir esse isolamento para então serem liberados para participarem de torneios preparatórios e o Grand Slam em Melbourne.

No entanto, a polêmica envolvendo a quarentena imposta aos 72 tenistas que chegaram na Austrália em voos com contaminados pelo novo coronavírus ganhou corpo e chegou até o ponto de o sérvio Novak Djokovic, número 1 do mundo, resolver divulgar um comunicado nesta quarta-feira, através de suas redes sociais, para explicar o seu posicionamento nos pedidos feitos à organização do Aberto da Austrália.

O tenista acredita que foi mal interpretado e que fez tudo pensando na melhor forma de poder ajudar os companheiros de circuito profissional. "Minhas boas intenções para meus colegas em Melbourne foram mal interpretadas como sendo egoístas, difíceis e ingratas. Isso não poderia estar mais longe da realidade", escreveu Djokovic.

Cumprindo isolamento em Adelaide, junto a um seleto grupo de jogadores - casos, por exemplo, de Rafael Nadal e Serena Williams -, o sérvio garantiu que pediu para a organização do torneio que ele e toda sua equipe pudessem ficar em Melbourne junto com os demais, mas isso foi negado por causa de questões logísticas. Djokovic também reforçou que seus pedidos foram apenas para melhorar as condições dos demais tenistas.

"Eu conquistei meus privilégios da forma mais dura e por causa disso é difícil, para mim, ser um mero espectador, sabendo que qualquer gesto de ajuda seria importante para mim quando eu era pequeno e sem importância", observou o líder do ranking da ATP.

"Sempre tive uma ótima relação com Craig (Tiley, presidente da Tennis Australia, que organiza o Grand Slam) e respeito seu esforço em tentar fazer o Aberto da Australian acontecer neste ano. No e-mail que enviei para ele, fiz apenas sugestões de melhorias que poderiam ser feitas para o pessoal em quarentena lá em Melbourne. Não foram feitas com o intuito de prejudicar alguém, apenas ajudar", acrescentou.

Djokovic ainda lamentou o foco que a imprensa deu a seu posicionamento e ao dos demais tenistas. "Como as coisas foram colocadas na mídia, ficou a impressão de que os jogadores (incluindo eu mesmo) são ingratos, fracos e egoístas por causa das sensações ruins que trazem a quarentena. Lamento que tenha chegado a esse ponto, porque sei que a maioria é grata por tudo isso", completou o sérvio.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade