0

Buscando ser o nº 1, Djokovic trata todos os torneios como Grand Slams

7 out 2018
20h03
atualizado às 20h03
  • separator
  • comentários

Vencedor dos últimos dois Grand Slams do ano, Wimbledon e US Open, Novak Djokovic parece ainda não estar satisfeito com a sua melhora na temporada. Atual terceiro colocado no ranking da ATP, o sérvio já deixou claro que pretende terminar 2018 como o melhor tenista do planeta.

Para cumprir este objetivo, o tenista sabe que terá de ter um resultado bastante satisfatório nos próximos grandes torneios até o final desta temporada. O próximo deles acontece em Xangai, na China, onde o tenista já se encontra para disputar o Master 1000.

"Quero o número 1 do ano e a cada torneio dos que faltam os considero como um Grand Slam. Eu teria de voltar a me motivar depois de Roland Garros 2016. Nunca pensei que isso seria um problema, mas foi. Esta é uma situação que aconteceu com outros campeões com quem falei e tive que me reinventar porque quando estás acostumado a vencer Grand Slam não era suficiente jogar tênis", declarou o tenista.

Além de focar ao máximo para buscar os títulos da reta final da temporada, outra decisão importante de Djokovic para cumprir o seu objetive tem sido escolher quais competições disputar nesses próximos meses. Foi a partir dessas escolhas que o tenista decidiu não participar do ATP 500 de Pequim.

"Tenho um recorde perfeito em Pequim, mas eu também não joguei lá há dois anos; Nos últimos meses joguei muitos jogos. Não me sentia o suficientemente bem para jogar ali após a Laver Cup. Queria uma semana a mais de treinamento antes de chegar em Xangai", completou.

A estreia de Djokovic no Master 1000 de Xangai acontece nesta segunda-feira, diante do francês Jeremy Chardy, adversário que o sérvio já bateu 11 vezes na carreira sem ceder um set sequer.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade